Links de Acesso

Afonso Dhlakama - Uma vida de oposição


Afonso Dhlakama

Líder da Renamo faleceu, quinta-feira, 3 de Maio, aos 65 anos de idade.

Afonso Marceta Macacho Dhlakama nasceu a 1 de Janeiro de 1953 na província de Sofala e ingressou na Frelimo, o partido no poder em Moçambique, no fim da guerra pela independência.

Em 1976, fugiu para a então Rodésia, actualmente Zimbabwe, juntado-se à Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), que contava com o apoio do governo minoritário branco daquele país.

Quando o primeiro presidente da Renamo, André Mantsagaíça, foi morto em combate em 1979, Afonso Dhlakama assumiu o cargo de líder depois de um período conturbado dentro do movimento.

Afonso Dhlakama (centro, com mão na arma), 1991
Afonso Dhlakama (centro, com mão na arma), 1991

Com fim do regime minoritário da Rodésia e a independência do Zimbabwe em 1980, a Renamo passou a contar com forte apoio da África do Sul e rapidamente estendeu a guerra a várias províncias do pais.

Acordo de Paz

Em 1984, o Governo de Moçambique a África do Sul assinaram o acordo de Nkomati que previa o fim do apoio sul-africano à Renamo e o término do apoio de Moçambique ao Congresso Nacional Africano (ANC).

A guerra civil continuou e em 1992 Dhlakama assinou, com o então Presidente moçambicano, Joaquim Chissano, o Acordo de Paz de Roma.

Dois anos depois nas primeiras eleições presidenciais livres, Dhlakama obteve 33,7 por centro dos votos e a Renamo 37,7 por cento.

Em 1999, em novas eleições presidenciais, Dhlakama conseguiu 47, 7 por cento dos votos e subsequentemente Dhlakama recusou-se a aceitar o resultado das eleições.

Nova crise e negociações

Em 2004 voltaria a perder eleições agora com 31,7 por cento dos votos e, em 2014, ainda com menos votos,apenas 16 por cento.

Afonso Dhlakama (esq) e Filipe Nyusi (dir)
Afonso Dhlakama (esq) e Filipe Nyusi (dir)

A instabilidade política antes das eleições de 2014 levou Afonso Dhlakama a abandonar a sua residência e a retirar-se para o seu quartel-general no distrito da Gorongosa que foi atacado por forças governamentais

Apos as eleições de 2014 Dhlakama foi vítimas de vários atentados .

Nas eleições de 2014 obteve 36.6 por cento dos votos.

Afonso Dhlakama vivia na sua zona de apoio na Serra da Gorongosa e, recentemente, chegou a acordos com o Presidente Filipe Nyusi para uam revisão parcial da Constituição e pôr fim à crise política.

Afonso Dhlakama era casado e tinha 65 anos de idade, morreu na Gorongosa aos 3 de Maio de 2018.

Biografia de Afonso Dhlakama
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:27 0:00

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG