Links de Acesso

Adalberto Costa Júnior não quer apenas "primos africanos de proximidade política" como observadores


Adalberto Costa Júnior, presidente da UNITA, em entrevista à VOA, Washington, Estados Unidos, 10 Março 2022

Em encontro com a directora para África da União Europeia, presidente da UNITA volta a defender presença de observadores não apenas da África

O líder da UNITA, principal partido da oposição angolana, disse esperar que os observadores que eventualmente venham a ser convidados pelo Governo não fiquem apenas nos "primos africanos" e defendeu uma observação eleitoral democrática.

UNITA quer observadores da Uniao Europeia - 1:38
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:37 0:00

"Pretender trazer a Angola apenas primos africanos de proximidade política ou ideológica não parece ser um elemento de credibilidade", disse Adalberto Costa Júnior aos jornalistas no final do encontro que manteve nesta segunda-feira, 6, com a directora para África da União Europeia, Rita Laranjinho, na sede do seu partido, no Distrito Urbano da Maianga, em Luanda.

Ele lembrou que o Governo, nos últimos pleitos eleitorais, demostrou não ter grande interesse em ter presentes observadores internacionais nas eleições e por isso as autoridades “retardam os convites e com este retardar interferem na vinda das missões".

No entanto, Costa Júnior disse acreditar que “no âmbito da Assembleia Nacional e da Comissão Eleitoral é possível fazer convites a observadores que possam credibilizar o nosso pleito eleitoral”.

Da "lavandaria" à censura na imprensa líder da UNITA faz balanço negativo do mandato de João Lourenço
please wait

No media source currently available

0:00 0:33:50 0:00

Várias organizações da sociedade civil angolana já solicitaram o seu credenciamento para observação eleitoral mas ainda não obtiveram qualquer resposta.

A VOA tentou ouvir o MPLA, através do seu porta-Voz Rui Falcão, mas não obteve resposta.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG