Links de Acesso

Activistas já em liberdade no Uíge


Manifestantes em Uige, Angola (foto de arquivo)

“Reconheci dois deles; outro foi o comandante Popozudo”, disse David Salé, referindo-se aos agentes que o agrediram

Os cerca de dez ativistas presos na manhã sábado, 20 de Março, no Uíge, durante uma manifestação contra o Governo angolano, já em encontram em liberdade, mas dizem que foram torturados pela Policia de Intervenção Rápida (PIR).

“Foram dois agentes, que me agrediram. Estavam a bater-me com paus e pontapés”, disse após a soltura, cerca das 18 horas do mesmo dia, David Salé, o manifestante que terá sofrido mais agressão.

“Reconheci dois deles; outro foi o comandante Popozudo”, acrescentou Salé, mostrando o seu olho inflamado.

Entre os activistas em liberdade estão Jorge Kisseque, do Uíge; Nito Alves, Mulaza e Mutu Muxima, de Luanda.

Entrevistado pela VOA, Nito Alves, considerou positivo o balanço da manifestação, apesar de existir de muito trabalho para mobilizar cidadãos “para nós sairmos em massa”.

“Mostramos ao governador do Uíge e a sociedade civil que nós sempre lutamos pelo bem-estar da população”, disse Alves, que condenou a attitude agressiva da polícia.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG