Links de Acesso

Angola: José Mateus Zecamutchima e três companheiros condenados a quatro anos de prisão


José Mateus Zecamutchima, presidente do Movimento Protectorado Lunda Tchokwe, Angola

Absolvidos das acusações de associação criminosa e realização de manifestação violenta, eles foram condenados por pertencerem ao autodenominado Movimento Protectorado Lunda Tchokwe

O Tribunal da Comarca do Dundo, na província angolana da Lunda Norte, condenou nesta sexta-feira, 25, o presidente do autodenominado Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe, José Mateus Zecamutchima e mais três arguidos, a quatro anos e seis meses de prisão, pelo facto de pertencerem ao referido movimento.

Zecamutchima tinha sido acusado de crimes de associação criminosa e realização de manifestação violenta, na sequência dos confrontos entre a políciae manifestantes a 30 de Janeiro do ano passado nos quais de seis a 30 pessoas foram mortas.

O tribunal não aceitou as acusações por falta de provas, mas a Procuradoria da República pediu uma pena suspensão de um ano.

O advogado de defesa Salvador Freire disse à VOA ter já recorrido da decisão daquele tribunal por entender que fazer parte daquele movimento não pode constituir um crime.

“Se todas as acusações caíram por terra não entendemos como é que são condenados”, sublinha Freire.

Os demais arguidos no mesmo caso foram absolvidos por não ter sido provado o envolvimento deles nos confrontos e no Movimento.

Freire ainda acrescentou que “muitos deles vão ser repatriados por se terem apresentado como cidadãos da República Democrática do Congo.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG