Links de Acesso

Abuso sexual é alarmante em Nampula, diz a Visão Mundial


Imagem de cartaz contra o abuso de crianças (Rede Came, Moçambique)

A Visão Mundial diz que pelo menos duzentas raparigas foram abusadas sexualmente, este ano, em apenas uma província moçambicana, o que espelha uma realidade bastante preocupante no que toca à violação dos direitos da criança no país.

Abuso sexual é alarmante em Nampula, diz a Visão Mundial
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:21 0:00

Os dados referem-se aos primeiros seis meses de 2019, e ocorreram na província nortenha de Nampula, segundo Eleutério Finita, director de advocacia e justiça para a criança, da Visão Mundial, uma organização cristã americana.

Finita realçou que "isso dá-nos uma média de pelo menos, uma rapariga que é abusada sexualmente, por dia, só em Nampula".

Preocupado está, igualmente, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, não apenas com o abuso sexual de raparigas, mas também com os casamentos prematuros, de acordo com Marcoluigi Corsi, seu representante em Moçambique.

Lei contra casamentos prematuros em vigor

Corsi referiu que em Moçambique, 15 por cento de crianças abaixo de 15 anos, casam-se antes de atingir os 18 anos, “o que é muito preocupante".

Refira-se que esta sexta-feira, 22, entrou em vigor, em Moçambique, a Lei sobre Prevenção e Combate às uniões prematuras, que visa, entre outros objectivos, fazer cessar casamentos prematuros já existentes. A lei foi aprovada recentemente pelo parlamento.

A ministra moçambicana do Género, Criança e Acção Social, Cidália Chaúque, afirmou terem sido identificados cerca de nove mil casamentos prematuros.

"Essas situações violam os direitos da criança", considera a Comissão moçambicana para os Direitos Humanos, que tem estado a lidar com vários casos de tráfico de crianças, sobretudo para a vizinha África do Sul.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG