Links de Acesso

A educação deve ser prioridade do próximo governo moçambicano, dizem especialistas


Escola Maringanha. Projecto Lara Ripoll

Entrevista de Nayomi Santos

Os partidos políticos que concorrem às eleições deste 15 de Outubro prometem melhorar a educação, mas os defensores de direitos da criança querem planos concretos.

Nayomi Santos entrevistou Célia Claudina, da Rede de Comunicadores Amigos da Criança; e Carlos Manjate, de Rede Contra o Abuso de Menores.

Célia Claudina diz que “o que nós sentimos é que todos os candidatos colocaram a questão de educação como uma das áreas que vão tratar”, mas faltam detalhes, tendo em conta os desafios do país.

Ela dá o exemplo do facto de o país registar muitos casamentos prematuros, que são uma das causas da “desistência escolar das raparigas“.

A desistência é também preocupante entre os rapazes, acrescenta Carlos Manjate, explicando que tal é derivado da necessidade de procurar emprego para sustentar a vida.

Reconhecendo alguns avanços na educação, os dois especialistas dizem que o próximo governo deve ter propostas concretas.

“Os planos do governo para próximo quinquénio têm que ter a criança como foco,” diz Célia Claudina.

Nisso, acrescenta, a educação da criança portadora de deficiência deve ser bem elaborada.

E Carlos Manjate enfatiza a necessidade ser feito investimento no ensino técnico.

Acompanhe:

A educação deve ser prioridade do próximo governo moçambicano, dizem especialistas
please wait

No media source currently available

0:00 0:03:53 0:00


Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG