Links de Acesso

É triste não haver em Angola salas de exposição, diz o pintor Hildebrando Melo


O pintor angolano Hildebrando de Melo disse ser “muito triste” que não exista em Angola uma sala de exposições.

O artista falava na abertura de uma exposição no Centro Cutural Brasil Angola (CBA) que foi inaugurada no passado dia 7 de Maio e estende se até ao dia 11 de Julho.

Artista angolano triste por não haver salas de exposição – 18:30
please wait

No media source currently available

0:00 0:18:30 0:00

Hildebrando Melo disse regozijar-se por ter conseguido com o antigo primeiro secretário da embaixada do Brasil Afonso Nery “esta casa do Brasil Angola para exposições e centro cultural”.

“Tem muito sabor e regozijo mas tem regozijo e tristeza”, disse.

“O regozijo é poder estar aqui e usufuir de uma coisa que realmente eu comecei,” disse afirmando ainda haver um segundo aspecto que é de “tristeza”.

“Isto porque já passaram cinco ministros da cultura e não existe uma sala de explosições no país”, afirmou .

“É muito triste isto, não temos uma sala para expôr a nossa pintura”, acrescentou Hildebrando Melo para quem a sala de exposição no Museu de História Natural “é inoperante, sem regras, estrutura e exibição para que possamos mostrar as coisa com dignidade”.

Mantrax é o novo projecto artístico do pintor angolano Hildebrando de Melo, cuja inauguração aconteceu a 07 de maio, no Centro Cultural Brasil Angola (CCBA), em Luanda, e estende-se até ao dia 11 de julho.

A exposição alberga duas esculturas em ferro, em forma de centopeia e, dez obras de desenho.

A obra de Hildebrando de Melo é considerada pelo filósofo e historiador de arte Patrício Batsikama como um “acúmulo”, no qual cultura, política e ciência têm uma semântica monótona.

Hildebrando de Melo nasceu no Bailundo, no Huambo (1978). Fez o curso de pintura na Associação das Lameiras em V.N. Famalicão, Portugal.

Individualmente expõe com frequência desde 1994, contando já com 14 mostras que passaram por Angola, Portugal, Espanha e Holanda, Alemanha e EUA. A última exposição individual foi “Diálogo”, em 2019, na Livraria Sá da Costa, em Portugal.

Com outros artistas, Hildebrando de Melo participou em nove exposições, entre elas Interpretative Realm´s (2008), na agora Gallery em Nova Iorque, Europa Series: M´Bilu, na galeria alemã Struggles Bamber, Colecção ENSA seguros, apresentado no pavilhão de Angola na Bienal de Veneza de 2013.

As obras do artista integram ainda sete colecções privadas e dez de empresas e instituições nacionais, como do Banco Nacional de Angola, Sonangol, Companhia Nacional de Seguros de Angola, British Petroleum, entre outras.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG