terça-feira, 09 fevereiro, 2016. 01:27 UTC

    Notícias

    Sete partidos contestam nomeação de Suzana Inglês

    Os sete partidos consideram "inaceitável e ilegal" a posição do Conselho Superior da Magistratura Judicial

    A polícia pronta a actuar nas manifestações de 4 de Setembro do ano passado (Foto de Arquivo)
    A polícia pronta a actuar nas manifestações de 4 de Setembro do ano passado (Foto de Arquivo)
    Venâncio Rodrigues

    "Inaceitável e ilegal"

    A pressão sobre o Conselho Superior da Magistratura Judicial conheceu a adesão de mais cinco partidos políticos da oposição  angolana.O BD, PADDA- Aliança Patriótica, PDP-ANA, PP e a Coligação POCs juntaram  à UNITA e à FNLA, numa reunião de consertação visando forçar o Conselho a anular as recentes nomeações de quadros para a CNE a começar pela advogada Susana Inglês.

    David Mendes, líder do Partido Popular
    David Mendes, líder do Partido Popular


    O advogado, David Mendes, presidente do Partido Popular disse à Voz da América que, se o MPLA continuar a violar a Constituição do país, haverá manifestações de rua à escala nacional.

    Na declaração política, produzida no final do encontro,a oposição considera grave a actual situação política em Angola, em resultado do que descrevem de  manobras do  partido no poder que visam   “condicionar o país aos seus desígnios egoístas e desvirtuar o sentimento geral de desencanto que o povo tem manifestado” e que admitem puder vir  reflectir-se  nos próximos resultados eleitorais.

    Os sete partidos consideram  "inaceitável e ilegal" a posição do Conselho Superior da Magistratura Judicial e ameaçam recorrer ao Tribunal Supremo e Tribunal Constitucional e  a outras instâncias internacionais para reposição da legalidade.

    Os subscritores da declaração dos “sete” repudiaram igualmente a designação dos membros das Comissões Provinciais e Municipais acusando o MPLA de,alegadamente, ter indicado para tais cargos dirigentes seus  agentes da segurança do Estado.    

    A oposição considera ser um golpe e imprudência política a aprovação unilateral das Leis do Financiamento e da Observação eleitoral, bem como a fuga a discussão da Lei sobre o Registo Eleitoral, afirmando que tal atitude “constitui a intenção do regime de realizar eleições a qualquer preço,mesmo que as mesmas sejam apenas entre si e os partidos que gravitam em seu torno”.

    O forúm foi encerrado
    Comentário
    Comentários
         
    por: александер
    10.03.2012 04:26
    sinto muito por essa pouca vergonha! eu acho que esses senhores nao devem brincar com um que um povo pode fazer quando unido. QUEM ME DEU O MPLA NO PODER E O POVO I ESSE MESMO POVO AINDA VAI TIRA - LOS


    por: Dep
    09.03.2012 06:21
    Quando num convívio entre irmãos um usa a supremacia, unicamente por ser , por exemplo: anfitrião, automaticamente destrói o convívio e causa uma série de dificuldades.
    Isso, é para aqueles que pensam serem os donos daquilo que os donos nem sequer têm oportunidades de ter.
    Para pensar....

    Siga-nos

    Rádio

    AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

    Sexta 16:30 - 17:30 UTC
     

    AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

    Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
     

    AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

    Sexta-feira 17:30 UTC
     

    AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

    Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

    Os Nossos Vídeos

    Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
    Manchetes Mundo 8 Fevereiro 2016i
    X
    08.02.2016 20:00
    Mais Vídeos