domingo, 20 abril, 2014. 08:33 UTC

Notícias / África

Governo de São Tomé não resistiu a pressão e demitiu a Procuradora-geral da República

Elsa Pinto não sobreviveu ao seu passivo com a justiça e perdeu os apoios políticos que antes lhe tinham valido a promoção ao cargo, inclusivé os do presidente da república

Elsa Pinto, demitida do cargo de Procuradora-geral de São Tome e PríncipeElsa Pinto, demitida do cargo de Procuradora-geral de São Tome e Príncipe
x
Elsa Pinto, demitida do cargo de Procuradora-geral de São Tome e Príncipe
Elsa Pinto, demitida do cargo de Procuradora-geral de São Tome e Príncipe
Tamanho das letras - +
Redacção VOA
O governo santomense deu início aos contactos para a nomeação de um novo Procurador-geral da República, depois da demissão ontem a noite de Elsa Pinto empossada no cargo há duas semanas.

Um decreto presidencial publicado ontem pela imprensa em São Tomé confirmou a demissão da recém-empossada, que se viu impossibilitada em assumir o cargo por ter sido arguida num processo-crime que corria os seus termos no ministério público no momento de sua nomeação.

A presidência da república no seu decreto limitou-se a dizer que Elsa Barros Pinto era exonerada sob proposta do governo.

A sua demissão já mereceu a reacção do principal partido da oposição em São Tomé, Acção Democrática Independente, através do seu Secretário-geral, Levy Nazaré que lamentou a demora.


"Porque o escândalo rebentou já há muitos dias atrás, e a decisão devia ser tomada a tempo. Não nos estranhou porque já estavamos a espera que isso acontece, porque não havia clima para a senhora PRG exercer condignamente as suas funções."

Elsa Barros Pinto que é uma influente militante do partido no poder MLSTP/PSD foi nomeada para o cargo há pouco mais de duas semanas, segundo se dizia, com o propósito para promover a reforma do sistema judiciário e particularmente dos tribunais.

O seu envolvimento no escândalo de passagem de cheque sem provisão deitou abaixo a promessa do governo de Gariel Costa, um antigo Bastonário da Ordem dos Advogados e crítico conhecido em relação ao funcionamento dos tribunais. As revelações surgidas na imprensa logo a seguir a tomada de posse da nova Procuradora-geral da República, deixaram o governo sem argumentos para defender a figura que entretanto era acusada pela oposição política como não tendo o perfil requerido para o cargo.

Elsa Pinto que negou sem sucesso as acusações, veio a praça pública saudar o presidente da república, Manuel Pinto da Costa, pelo apoio e confiança nela depositado. Essa sua intervenção levantou suspeitas de que o governo estivesse a fazer o jogo para manter a sua nomeação, apesar da pressão da opinião pública.


"Pensamos que essa demora foi p'ra ver se as pessoas se calassem com o passar do tempo. Felizemente quer através dos orgãos da comunicação social, principalmente a estrangeira, e não só, tal como a pressão política ou mesmo social não deixou que isso acontecesse. Nós até acreditamos que o recente debate parlamentar feito por Gabriel Costa [primeiro-ministro] acusando o partido ADI de uma série de mentiras foi com o objectivo mesmo de passar para o segundo plano o caso de Elsa Pinto" - afirmou o secretário-geral do partido de Acção Democrática Independente - ADI.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 18 de Abrili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
18.04.2014
Vídeo

Vídeo "Temos muitos problemas na Guiné-Bissau", Abel Incada, candidato presidencial

Os guineenses foram às urnas a 13 de Abril e estão expectantes num novo Governo de paz e estável
Vídeo

Vídeo África do Sul vai a votos a 7 de Maio

Na África do Sul, o ANC está em campanha difícil para segurar o seu domínio no Limpopo, onde ganhou 85 por cento dos votos em 2009.
Vídeo

Vídeo Pistorius está no banco dos réus e a acusação tem sido dura

Os acusadores tentaram descrever o atleta sul-africano Oscar Pistorius como egoísta e abusivo durante o segundo dia de interrogatório no seu julgamento por homicídio.
Mais Vídeos