sexta-feira, 18 abril, 2014. 03:08 UTC

Notícias / África

Mulher violada e condenada a prisão na Somália

Juíz acusou a vítima assim como o jornalista que a entrevistou de falta de prova e de atentarem contra a honra do estado

Tamanho das letras - +
Gabe Joselow
Um tribunal Somali sentenciou uma mulher que se queixava ter sido violado por soldados governamentais, a um ano de prisão, alegando que a mesma inventou a história.

Um jornalista que entrevistou a suposta vítima foi igualmente sentenciado a um ano prisão.
 
O juíz Ahmed Adan Fareh leu o veredicto da sentença contra a jovem de 27 anos que queixou ter sido violada meses atrás, quando vivia num campo de deslocados internos.
Lul Ali Osman foi sentenciada a um ano de prisão, depois do juíz ter dito que ela não foi capaz de apresentar nenhuma prova de que tinha sido violada. O juiz disse ainda que ela deve começar a cumprir a pena dentro de anos, quando deixar de aleitar a sua criança que acaba de nascer.

Um jornalista, Abdiaziz Abdinur que alegadamente entrevistou a condenada foi igualmente sentenciado a um ano de prisão. Ambos foram acusados de terem forjado a história na tentativa de obterem dinheiro, e foram condenados por insulto a honra do país.

Três outras pessoas envolvidas neste caso, entre elas o marido da vítima, foram dispensados. O Director da Human Rights Watch para África, Daneil Bekele disse num comunicado que a decisão do tribunal envia um sinal desencorajador as vítimas de violências sexuais na Somália. Ele acrescentou ainda que esse caso foi promovido sem fundamentos de acusação e devia ter sido abandonado.

Tom Rhodes, do Comité de Protecção de Jornalistas, disse ter ficado horrorizado com o veredicto.

“Ele envia uma má mensagem a imprensa da Somália e os nossos colegas estão muito preocupados. Basicamente chegou ao ponto em que uma entrevista com qualquer pessoa sobre um caso crítico, pode conduzir a cadeia.”

Rhodes adiantou que nunca pareceu haver provas de que o jornalista Abdinur tinha publicado alguma história acerca da alegada violação sexual da vítima ou que tinha alguma vez entrevistado a mesma.

O primeiro-ministro Abdi Farah Shirdon disse que uma comissão de direitos humanos, criada na Terça-feira irá investigar os abusos dos direitos humanos, em particular os crimes contra as mulheres e jornalistas.

Sem se referir directamente ao actual e controverso caso da justiça, o governante somali assegurou que a dita comissão deverá investigar os casos em curso em Mogadíscio para ter a certeza se foram respeitados os procedimentos.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 17 de Abrili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
17.04.2014
Vídeo

Vídeo "Temos muitos problemas na Guiné-Bissau", Abel Incada, candidato presidencial

Os guineenses foram às urnas a 13 de Abril e estão expectantes num novo Governo de paz e estável
Vídeo

Vídeo África do Sul vai a votos a 7 de Maio

Na África do Sul, o ANC está em campanha difícil para segurar o seu domínio no Limpopo, onde ganhou 85 por cento dos votos em 2009.
Vídeo

Vídeo Pistorius está no banco dos réus e a acusação tem sido dura

Os acusadores tentaram descrever o atleta sul-africano Oscar Pistorius como egoísta e abusivo durante o segundo dia de interrogatório no seu julgamento por homicídio.
Vídeo

Vídeo A luta dos medicamentos baratos

O Governo da África do Sul vai aprovar reformas sobre propriedade intelectual – incluindo patentes de medicamentos – que para activistas de saúde poderão permitir que mais sul-africanos possam ter acesso a medicamentos genéricos,
Mais Vídeos