quinta-feira, 24 julho, 2014. 14:45 UTC

Notícias / África

Mulher violada e condenada a prisão na Somália

Juíz acusou a vítima assim como o jornalista que a entrevistou de falta de prova e de atentarem contra a honra do estado

Gabe Joselow
Um tribunal Somali sentenciou uma mulher que se queixava ter sido violado por soldados governamentais, a um ano de prisão, alegando que a mesma inventou a história.

Um jornalista que entrevistou a suposta vítima foi igualmente sentenciado a um ano prisão.
 
O juíz Ahmed Adan Fareh leu o veredicto da sentença contra a jovem de 27 anos que queixou ter sido violada meses atrás, quando vivia num campo de deslocados internos.
Lul Ali Osman foi sentenciada a um ano de prisão, depois do juíz ter dito que ela não foi capaz de apresentar nenhuma prova de que tinha sido violada. O juiz disse ainda que ela deve começar a cumprir a pena dentro de anos, quando deixar de aleitar a sua criança que acaba de nascer.

Um jornalista, Abdiaziz Abdinur que alegadamente entrevistou a condenada foi igualmente sentenciado a um ano de prisão. Ambos foram acusados de terem forjado a história na tentativa de obterem dinheiro, e foram condenados por insulto a honra do país.

Três outras pessoas envolvidas neste caso, entre elas o marido da vítima, foram dispensados. O Director da Human Rights Watch para África, Daneil Bekele disse num comunicado que a decisão do tribunal envia um sinal desencorajador as vítimas de violências sexuais na Somália. Ele acrescentou ainda que esse caso foi promovido sem fundamentos de acusação e devia ter sido abandonado.

Tom Rhodes, do Comité de Protecção de Jornalistas, disse ter ficado horrorizado com o veredicto.

“Ele envia uma má mensagem a imprensa da Somália e os nossos colegas estão muito preocupados. Basicamente chegou ao ponto em que uma entrevista com qualquer pessoa sobre um caso crítico, pode conduzir a cadeia.”

Rhodes adiantou que nunca pareceu haver provas de que o jornalista Abdinur tinha publicado alguma história acerca da alegada violação sexual da vítima ou que tinha alguma vez entrevistado a mesma.

O primeiro-ministro Abdi Farah Shirdon disse que uma comissão de direitos humanos, criada na Terça-feira irá investigar os abusos dos direitos humanos, em particular os crimes contra as mulheres e jornalistas.

Sem se referir directamente ao actual e controverso caso da justiça, o governante somali assegurou que a dita comissão deverá investigar os casos em curso em Mogadíscio para ter a certeza se foram respeitados os procedimentos.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 23 Julho 2014i
X
23.07.2014 17:06
Os principais títulos que marcam a actualidade de África
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Julho 2014

Os principais títulos que marcam a actualidade de África
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 22 Julho 2014

Os principais acontecimentos de 22 de Julho no continente africano
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 17 Julho 2014

Os principais acontecimentos que marcaram a actualidade desta Quinta-feira
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 16 Julho 2014

Os principais acontecimentos que marcaram esta Quarta-feira, no continente africano
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 15 Julho 2015

Os acontecimentos que fizeram a actualidade desta Terça-feira, no continente africano
Vídeo

Vídeo Brasileiros felizes com vitória alemã

A Alemanha ganhou o Mundial de Futebol derrotando a Argentina no Domingo por uma bola a zero no prolongamento. A VOA no Rio de Janeiro
Mais Vídeos