terça-feira, 21 outubro, 2014. 18:17 UTC

Notícias / Estados Unidos

Adam Lanza forçou a entrada na escola antes de matar 20 crianças e seis adultos

O massacre foi o segundo mais grave deste género nos Estados Unidos

Redacção VOA
A polícia revelou que o jovem responsável pelo massacre numa escola do nordeste dos Estados Unidos forçou a entrada no edifício antes de matar a tiro 20 crianças e seis adultos.

A fonte não precisou como Adam Lanza forçou a entrada, referindo que prossegue a investigação.

As autoridades norte-americanas ainda não indicaram qual o motivo que levou um jovem de 20 anos de idade a matar 20 crianças e seis adultos numa escola primária da cidade de Newton, no estado de Connecticut.

Dezenas de pessoas homenagearam esta madrugada as vítimas, numa vigília em frente à Casa Branca.

Reclamaram um maior controlo na venda de armas para prevenir mais ataques deste tipo. CA polícia revelou que o jovem responsável pelo massacre numa escola do nordeste dos Estados Unidos forçou a entrada no edifício antes de matar a tiro 20 crianças e seis adultos.
 
A fonte não precisou como Adam Lanza forçou a entrada, referindo que prossegue a investigação.
 
As autoridades norte-americanas ainda não indicaram qual o motivo que levou um jovem de 20 anos de idade a matar 20 crianças e seis adultos numa escola primária da cidade de Newton, no estado de Connecticut.
 
Dezenas de pessoas homenagearam esta madrugada as vítimas, numa vigília em frente à Casa Branca.
 
Reclamaram um maior controlo na venda de armas para prevenir mais ataques deste tipo. O massacre foi o segundo mais grave deste género nos Estados Unidos, depois do tiroteio de há cinco anos na universidade da Virgínia, em que 32 pessoas foram assassinadas.
 
"O país sofreu demasiadas tragédias nos últimos anos. Vamos ter de nos unir e tomar medidas significativas para prevenir futuras tragédias como esta", declarou o presidente norte-americano num discurso emocionado, após o massacre numa escola primária em Connecticut.
 
O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apelou a medidas significativas para evitar a repetição de mais um tiroteio numa escola, como o que aconteceu ontem e provocou 27 mortos, incluindo 20 crianças.
 
Numa intervenção transmitida pela televisão na sala de imprensa da Casa Branca, em Washington, e visivelmente emocionado, Barack Obama recordou as vítimas, em particular as bonitas crianças com idades entre os cinco e os dez anos e que tinham a vida inteira à sua frente, aniversários, licenciaturas, casamentos, filhos seus.
 
O Presidente norte-americano recordou ainda que entre as vítimas existiam professores, mulheres e homens que consagraram as suas vidas a ajudar as crianças a realizar os seus sonhos.
 
"O país sofreu demasiadas tragédias como esta nos últimos anos. Vamos ter de nos unir e tomar medidas significativas para prevenir futuras tragédias como esta", afirmou Obama.
 
Obama decretou quatro dias de luto nacional e ordenou que todas as bandeiras nos edifícios e locais públicos sejam colocadas a meia haste, incluindo nas representações dos Estados Unidos no estrangeiro.
, depois do tiroteio de há cinco anos na universidade da Virgínia, em que 32 pessoas foram assassinadas.

"O país sofreu demasiadas tragédias nos últimos anos. Vamos ter de nos unir e tomar medidas significativas para prevenir futuras tragédias como esta", declarou o presidente norte-americano num discurso emocionado, após o massacre numa escola primária em Connecticut.

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apelou a medidas significativas para evitar a repetição de mais um tiroteio numa escola, como o que aconteceu ontem e provocou 27 mortos, incluindo 20 crianças.

Numa intervenção transmitida pela televisão na sala de imprensa da Casa Branca, em Washington, e visivelmente emocionado, Barack Obama recordou as vítimas, em particular as bonitas crianças com idades entre os cinco e os dez anos e que tinham a vida inteira à sua frente, aniversários, licenciaturas, casamentos, filhos seus.

O Presidente norte-americano recordou ainda que entre as vítimas existiam professores, mulheres e homens que consagraram as suas vidas a ajudar as crianças a realizar os seus sonhos.

"O país sofreu demasiadas tragédias como esta nos últimos anos. Vamos ter de nos unir e tomar medidas significativas para prevenir futuras tragédias como esta", afirmou Obama.

Obama decretou quatro dias de luto nacional e ordenou que todas as bandeiras nos edifícios e locais públicos sejam colocadas a meia haste, incluindo nas representações dos Estados Unidos no estrangeiro.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 20 Outubro 2014i
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
20.10.2014 19:05
Vídeo

Vídeo Ébola: Um Poema para os Vivos

O filme da Chocolate Moose é uma animação desmistificando o Ébola, explicando a doença através do caso de um menino infectado. A VOA fez a dobragem do vídeo original na voz de Mayra de Lassalette. Saiba mais no link http://tinyurl.com/l7vgtjv
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 17 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Nascimentos na Libéria em tempos de Ébola

O hospital JFK na Libéria tinha encerrado a maternidade, devido ao Ébola, mas urge agora reabrir o serviço que já fez 93 partos desde que voltou a abrir
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 15 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Libéria: Os bravos que recolhem os corpos das vítimas de Ébola

Na Monróvia, capital da Libéria, uma jovem não aceitou ir para o hospital quando os técnicos de saúde assim o solicitaram. E a comunidade em que vivia também não. A jovem morreu e muitos da comunidade estão infectados com Ébola e isto já começa a ser uma história comum na Libéria
Vídeo

Vídeo Qual é o significado estratégico de Kobani?

Kobani continua a ser palco de intensos combates entre militantes do grupo Estado Islâmico (ISIS ou ISIL) e forças curdas. Os EUA levaram a cabo mais ataques aéreos. A ONU adverte para o possível massacre de centenas de civis se a cidade cair totalmente nas mãos dos extremistas islâmicos.
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 13 Outubro 2014

As noticias de Africa em video.
Mais Vídeos