sábado, 30 maio, 2015. 02:21 UTC

Notícias / África

São Tomé: Primeiro-ministro diz que não agiu sózinho no caso de Elsa Pinto

É a primeira vez que o primeiro-ministro se pronuncia sobre o caso da nova procuradora geral da república.

Primeiro-ministro são-tomense, Gabriel Costa
Primeiro-ministro são-tomense, Gabriel Costa
Óscar Medeiros
O primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Gabriel Costa, disse que não decidiu sózinho sobre a proposta de nomeação de Elsa Pinto para o cargo de procuradora geral da república.


É a primeira vez que o primeiro-ministro se pronuncia sobre o caso da nova procuradora geral da república. Depois da posição marcada pela ordem dos advogados, Gabriel Costa reconhece que a situação é delicada e garante que vai assumir a sua responsabilidade.

De acordo com a Constituição da república de São Tomé e Príncipe, o procurador-geral da república é proposto pelo chefe do governo e nomeado pelo presidente da república, mas no caso de Elsa Pinto o primeiro-ministro afirma que não decidiu sozinho.

Perante o presumível acto de natureza criminal que envolve a nova procuradora geral da república e o seu perfil político a ordem dos advogados são-tomense aconselhou a sua demissão do cargo.

Confrontado com essa posição da bastonária da ordem dos advogados, o primeiro-ministro considera que a ordem fez o seu papel, mas enquanto chefe do governo Gabriel Costa diz que deve respeitar o relacionamento institucional antes de tomar qualquer decisão.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Sakala: "Huambo é caso para tribunal internacional; Cabinda devia ser região autónoma"i
X
29.05.2015 15:05
Alcides Sakala, porta-voz da UNITA, principal partido da oposição em Angola, fala do caso Kalupeteka (dezenas de pessoas morreram de forma misteriosa), considerando-o o ponto mais alto das violações dos direitos humanos. Cabinda por seu lado devia ser autónoma como a Madeira. Entrevista a 22 de Maio
Vídeo

Vídeo Sakala: "Huambo é caso para tribunal internacional; Cabinda devia ser região autónoma"

Alcides Sakala, porta-voz da UNITA, principal partido da oposição em Angola, fala do caso Kalupeteka (dezenas de pessoas morreram de forma misteriosa), considerando-o o ponto mais alto das violações dos direitos humanos. Cabinda por seu lado devia ser autónoma como a Madeira. Entrevista a 22 de Maio
Vídeo

Vídeo Protestos em Bujumbura

O ambiente em Bujumbura continua sob muita tensao. Hoje foi dia de protestos na capital do Burundi
Vídeo

Vídeo Manchetes do Mundo 25 de Maio 2015

As imagens noticiosas do mundo
Mais Vídeos