terça-feira, 27 janeiro, 2015. 14:23 UTC

Moçambique

Moçambique recebe chefe da diplomacia russa

Maputo e Moscovo tentam reaproximação

Chefe da diplomacia russa,Sergei Lavrov
Chefe da diplomacia russa,Sergei Lavrov
Simião Pongoane
O ministro dos negócios estrangeiros russo, Sergei  Lavrov, está em Moçambique para uma visita de dois dias durante a qual abordará a cooperação bilateral e a situação na Comunidade de Desenvolvimento da África  Austral,  SADC, à qual Moçambique preside actualmente.


O programa da visita do chefe da diplomacia russa prevê vários encontros com dirigentes moçambicanos, a começar com o seu homólogo Oldemiro Baloi, passando pela Ministra dos Recursos Minerais, Esperança Bias, e terminando com o Primeiro-Ministro, Alberto Vaquina.

O programa da visita não inclui um encontro de cortesia com o Presidente da República, Armando Guebuza, como tem sido com ministros dos Negócios Estrangeiros de países membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas, como é a Rússia.

Armando Guebuza encontra-se na África do Sul a convite do seu homólogo, Jacob Zuma.
Mas no passado era mesmo impossível que um Ministro Russo ou Soviético não fosse recebido pelo Chefe do Estado Moçambicano, dado o nível elevado de relações entre os dois estados.

Só que a União Soviética morreu no final da década de 1980 e Moçambique abandonou o sonho da construção do socialismo de estilo soviético.

O Embaixador Russo em Moçambique, André Kamarsky, reconhece que as mudanças foram muito duras, mas acredita que as relações políticas continuam no mar alto.
“Temos essa cooperação política que se baseia na entidade e proximidade das atitudes e posições dos nossos dois países no palco internacional, no qual ambos os países defendem o desenvolvimento da nova ordem mundial baseada nos princípios multipolares, desenvolvimento, desarmamento, resolução de conflitos e luta contra o terrorismo, narco-tráfico, etc.” – disse o Embaixador Russo em Maputo.

Apesar do relato optimista do diplomata russo, desde a morte do Presidente Samora Machel em 1986 nenhum Chefe do Estado moçambicano visitou a Rússia.
Joaquim Chissano ficou no poder durante 18 anos e Armando Guebuza está no final do seu segundo mandato. Mudaram-se os tempos, mudaram-se as vontades e os interesses.

Mas o diplomata russo acredita que as relações entre os dois países vão melhorar.
Segundo André Kamarsky, a Rússia oferece 25 bolsas de estudo por ano aos jovens moçambicanos e participa com sete milhões de dólares no projecto de combate à Malária nas províncias do Norte de Moçambique.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 26 Janeiro 2015i
|| 0:00:00
...  
🔇
X
26.01.2015 19:54
As imagens das noticias africanas
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 26 Janeiro 2015

As imagens das noticias africanas
Vídeo

Vídeo Prisioneiros do Quenia Batalha pela reintegração

Depois de ter estado na prisao é difícil encontrar trabalho e ser aceite na cidade. Um grupo de ex-presos em Nairobi querem provar que ha vida depois do crime. (Janeiro 2015)
Vídeo

Vídeo Vacinas para o Ebola

A pior crise do Ebola na historia do mundo entrou no segundo ano. Os cientistas estao a desenvolver uma vacina contra este virus mortal. (Janeiro 2015)
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Janeiro 2015

As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 22 Janeiro 2015

As imagens das noticias africanas
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 21 Janeiro 2015

Imagens noticiosas afrcianas
Vídeo

Vídeo American Sniper: A história de um atirador americano que matou mais de 160 pessoas

Nomeado para o Oscar de Melhor Drama, o filme de Clint Eastwood baseia-se na história real de Chris Kyle, um oficial da Marinha americana que serviu no Iraque por quatro vezes como atirador profissional. O filme explora o efeito da guerra na psique humana
Mais Vídeos