sexta-feira, 24 outubro, 2014. 20:28 UTC

Moçambique

Maputo: Estagiários de medicina reprovados por participarem numa greve

A faculdade defende que os estudantes violaram o regulamento académico

Médicos moçambicanos
Médicos moçambicanos
William Mapote
Um mês depois da greve dos médicos que paralisou parcialmente o sistema nacional de saúde, está novamente instalada a crise.

Desta vez o conflito opõe a Associação dos Médicos e a Faculdade de Medicina da universidade Eduardo Mondlane, única instituição de ensino público com a função de formar médicos para o Sistema Nacional de Saúde.


Na origem da colisão está um despacho da Direcção da Faculdade de Medicina, datado de 27 de Janeiro, que decidiu reprovar do estágio profissional, pouco mais de uma centena de estudantes do 6º ano por terem participado da greve de 6 a 14 de Janeiro passado, na qualidade de médicos estagiários.

Depois de conhecida a decisão da faculdade, a associação médica reagiu com indignação e exige encontros com a direcção da faculdade, alargada ao Ministério da Saúde, para discutir a questão.

Até ao momento as partes ainda não confirmam encontros oficiais preferindo a troca de comunicados de imprensa, chamando cada um a razão para si.

Enquanto a faculdade defende que os estudantes violaram o regulamento académico, ao trocar as aulas práticas pela greve, a associação médica diz que a reprovação não deverá basear-se em critérios arbitrários, pelo que a decisão é ilegal.

No meio do diferendo, entrou esta tarde a Liga Moçambicana dos Direitos Humanos em defesa dos estudantes.

Através de um comunicado de imprensa emitido nesta tarde, a organização liderada por Alice Mabota considera “infundado”, arbitrário e de má-fé o acto de reprovação dos estudantes.

A Liga exige que a Faculdade de Medicina revogue de forma urgente o seu Despacho e caso contrário ameaça recorrer até a tribunais internacionais, se necessário for, para a defesa dos estagiários.

“A Liga condena o Despacho proferido pelo Director da Faculdade de Medicina contra os estudantes do 6° ano de Medicina que aderiram a greve e chama à atenção a Direcção da Faculdade para, urgentemente, revogar este Despacho, considerando-o de nenhum efeito. Caso tal não aconteça, a Liga promete, em tempo útil e em a defesa das vítimas, recorrer a todos as instâncias possíveis e competentes para dirimir o conflito, seja a nível de instituições administrativas, da Assembleia da República, do Tribunal Administrativo, ou seja a nível das instâncias internacionais” salienta no seu comunicado.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Galeria de fotos Em Moçambique ganha a abstenção - Veja os resultados por província

Os dados fornecidos pelo CIP revelam que dos perto de 11 mil eleitores, apenas quatro mil votaram em Moçambique


Galeria de fotos Moçambique – Eleições 2014 Dhlakama, Nyusi e Simango

Resultados provisórios Dhlakama e Nyusi votaram em Maputo. Daviz Simango votou na Beira


Galeria de fotos Galeria de fotos do ouvinte Eleições Moçambique

Fotos enviadas pelos ouvintes da VOA que nos acompanham pelo WhatsApp +1 908 652 4584



Manifesto Eleitoral do MDM

Manifesto Eleitoral da RENAMO

Manifesto Eleitoral da FRELIMO