quinta-feira, 23 outubro, 2014. 06:40 UTC

Moçambique

Moçambique: Médicos grevistas e Governo ainda sem acordo à vista

O Governo e os médicos moçambicanos continuam num braço de ferro sobre as reivindicações que desde segunda-feira paralisam parcialmente o serviço dos hospitais nacionais.

x
William Mapote
O Governo e os médicos moçambicanos continuam num braço de ferro sobre as reivindicações que desde segunda-feira paralisam parcialmente o serviço dos hospitais nacionais.

Em mais uma ronda negocial realizada nesta quarta-feira, os médicos levaram à mesa negocial uma lista de três exigências para condicionar o curso das negociações.

Da lista dos médicos consta a medição da OTM-Central Sindical, a organização dos trabalhadores nacionais; a participação de representantes do Ministério das Finanças e o fim do que chamam de intimidação aos grevistas.

Nesta base as negociações ficaram suspensas devendo continuar amanhã, quinta-feira, ainda na incerteza de quando a greve vai terminar.

Enquanto as negociações continuam abertas, as partes continuam divergentes nos números de adesão.

Os médicos continuam a falar de 90 por cento e o Ministério da Saúde fala de apenas 20 por cento, com destaque para o Hospital Central de Maputo, a maior unidade sanitária do país, onde afirma registarem-se níveis de pouco mais de 10 por cento.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Galeria de fotos Em Moçambique ganha a abstenção - Veja os resultados por província

Os dados fornecidos pelo CIP revelam que dos perto de 11 mil eleitores, apenas quatro mil votaram em Moçambique


Galeria de fotos Moçambique – Eleições 2014 Dhlakama, Nyusi e Simango

Resultados provisórios Dhlakama e Nyusi votaram em Maputo. Daviz Simango votou na Beira


Galeria de fotos Galeria de fotos do ouvinte Eleições Moçambique

Fotos enviadas pelos ouvintes da VOA que nos acompanham pelo WhatsApp +1 908 652 4584



Manifesto Eleitoral do MDM

Manifesto Eleitoral da RENAMO

Manifesto Eleitoral da FRELIMO