sexta-feira, 29 maio, 2015. 20:16 UTC

Moçambique

Mineiros moçambicanos impedidos de voltar ao trabalho na África do Sul

Trabalham nas minas sul-africanas pouco mais de 32 mil moçambicanos e perto de 29 mil já retomaram as actividades

Mina
Mina
William Mapote
Pouco mais de uma centena de mineiros moçambicanos estão a ser impedidos de voltar ao trabalho na vizinha República da África do Sul, na sequência de conflitos entre dois sindicatos numa das minas daquele país.

Trata-se de trabalhadores afectos a Companhia Harmony Gold Mine, localizado na região de Carltonville, arredores de Johannesburg, que está a ser assolado por mais uma onda de protestos que desde o semestre passado tem caracterizado o sector mineiro na África do Sul.


Devido a este facto a ordem da Teba, principal agência de contratação de mão-de-obra para o sector mineiro é que os trabalhadores fiquem em casa até novas ordens.

José Carimo, delegado da Teba em Moçambique, descreveu a situação na Harmony Gold mine de extremamente tensa, de tal forma que, por razões de segurança, os mineiros nacionais devem permanecer no país até a normalização da situação.

Na sequência desta situação, o Ministério do Trabalho emitiu há momentos um comunicado de imprensa em que refere que está a monitorar a situação.

Refira-se que trabalham nas minas sul-africanas pouco mais de 32 mil moçambicanos e perto de 29 mil já retomaram as actividades nas respectivas companhias.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Sakala: "Huambo é caso para tribunal internacional; Cabinda devia ser região autónoma"i
X
29.05.2015 15:05
Alcides Sakala, porta-voz da UNITA, principal partido da oposição em Angola, fala do caso Kalupeteka (dezenas de pessoas morreram de forma misteriosa), considerando-o o ponto mais alto das violações dos direitos humanos. Cabinda por seu lado devia ser autónoma como a Madeira. Entrevista a 22 de Maio
Vídeo

Vídeo Sakala: "Huambo é caso para tribunal internacional; Cabinda devia ser região autónoma"

Alcides Sakala, porta-voz da UNITA, principal partido da oposição em Angola, fala do caso Kalupeteka (dezenas de pessoas morreram de forma misteriosa), considerando-o o ponto mais alto das violações dos direitos humanos. Cabinda por seu lado devia ser autónoma como a Madeira. Entrevista a 22 de Maio
Vídeo

Vídeo Protestos em Bujumbura

O ambiente em Bujumbura continua sob muita tensao. Hoje foi dia de protestos na capital do Burundi
Vídeo

Vídeo Manchetes do Mundo 25 de Maio 2015

As imagens noticiosas do mundo
Mais Vídeos