quinta-feira, 31 julho, 2014. 21:36 UTC

Notícias

Medicina tradicional ganha reconhecimento em Angola e Moçambique

É no plano dos preconceitos que está quase tudo por definir-se

Medicina tradicional ganha reconhecimento em Angola e Moçambique
Medicina tradicional ganha reconhecimento em Angola e Moçambique

Multimédia

Áudio
Luis Neto

A situação em Moçambique

Assinala-se hoje o 9º Dia Africano da Medicina Tradicional. O tema deste ano é a protecção das plantas medicinais. Mas para a URAMET - União dos Praticantes da medicina tradicional em Moçambique há outras prioridades.

O presidente da URAMET, António Catandica, disse à VOA querer promover a formação e controle para aumentar a credibilidade de uma actividade que serve 70% dos moçambicanos.

Também Angola assinalou a data. Dezenas de associados reuniram-se no museu de História Natural, em Luanda, para analisar os meios e as condições em que este tradicional serviço é prestado.No momento em que OMS manifesta preocupação com o  crescendo das espécies em vias de extinção, por culpa da degradação ambiental, sobretudo causada pelas queimadas nos países do continente.

A organização mundial, Incentiva por esta razão a produção de legislação para assegurar que se protejam as mesmas. “...lanço um apelo aos governos da região Africana para que formulem e implementem políticas e planos de conservação de plantas medicinais” , lê-se na mensagem da OMS hoje divulgada.

Mas, um dos problemas com o qual se depara a medicina tradicional tem haver com falta de dados estatísticos. Não obedece à formulação teórica como é a medicina convencional. E nem as suas realizações são publicitadas, o que a torna bastante vulnerável.

Preocupação recente é a exportação ilegal de plantas sobretudo quando nalguns casos ainda não existe legislação que o proíba, segundo Pio Marcos.

Apesar das fraquezas, a sociedade reconhece a utilidade da medicina.
É em plena baixa de Luanda, onde se localizam algumas das ervanárias aqui frequentadas por gentes dos mais variados extractos sociais.

Com surpresa, a medicina tradicional, apesar da sua antiguidade diz o Eng. Manuel Lopes Francisco que é no plano dos conceitos que está quase tudo por definir-se

No plano institucional a medicina tradicional tem protecção do Estado angolano. O CONMENTA- Conselho Nacional de Medicina Natural, organização que congrega as várias associações no país é parceira do Executivo. Tem entre uma das tarefas a si atribuídas, dar pareceres sobre determinados assuntos.

Um Instituto de Medicina está para ser criado.
Neste momento, e por contraditório que pareça, Luanda já alberga aulas de Medicina. Ricardo Wambembe um dos responsáveis da iniciativa diz não haver nada de extraordinário no facto!

A situação em Angola

O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Ivan Collinson - Participante Yalii
X
31.07.2014 20:06
Ivan Collinson - Participante Yali. Veio de Moçambique e é director adjunto do registo académico da Universidade Eduardo Mondlane. Ivan sente-se mais africano depois de participar na Iniciativa Jovens Líderes Africanos nos EUA
Vídeo

Vídeo Ivan Collinson - Participante Yali

Ivan Collinson - Participante Yali. Veio de Moçambique e é director adjunto do registo académico da Universidade Eduardo Mondlane. Ivan sente-se mais africano depois de participar na Iniciativa Jovens Líderes Africanos nos EUA
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 31 Julho 2014

Câmara dos Representantes indicia processo contra Presidente Barack Obama
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 31Julho 2014

Da propagação do vírus do ébola, aos ataques do Boko Haram. Os títulos que marcam a actualidade de África
Vídeo

Vídeo Cadija Mané - Participante Yali

Cadija Mané - Participante Yali. Veio da Guiné-Bissau, onde trabalha como coordenadora da Casa dos Direitos. Regressa para a Guiné com mais determinação e força de vontade para mudar as coisas
Vídeo

Vídeo Vilma Nhambi - Participante Yali

Vilma Nhambi - Participante Yali. Veio de Moçambique e tem um projecto com mulheres e adolescentes nas zonas rurais.
Vídeo

Vídeo Selma Neves - Participante Yali

Selma Neves - Participante Yali, veio de Cabo Verde. É Presidente da Incubadora, uma cooperativa de empoderamento de mulheres e fica por mais dois meses para um estágio em Nova Iorque
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 29 Julho 2014

Os principais assuntos que fazem a actualidade dos Estados Unidos da América, com Bruna Ladeira
Vídeo

Vídeo Majo Joseph - Participante Yali

Majo Joseph - Participante Yali veio de Moçambique e a sua área de acção é a sociedade civil e seu empoderamento
Vídeo

Vídeo Akiules Neto - Participante Yali

Akiules Neto - Participante Yali. Veio de Angola e a sua vida são os números
Mais Vídeos