segunda-feira, 21 abril, 2014. 07:19 UTC

Notícias / Mundo

Tropas guineenses vão ao Mali sob comando senegalês

Governo de transição diz tratar-se de uma decisão da cimeira de chefes de Estados e de governos da CEDEAO

Militares da Guiné-Bissau (Foto de arquivo)
Militares da Guiné-Bissau (Foto de arquivo)
Tamanho das letras - +
Redacção VOA
O governo da Guiné-Bissau confirmou hoje a Voz da América que tropas guineenses vão tomar parte na anunciada intervenção militar da CEDEAO no norte do Mali.

A garantia é do ministro da presidência e porta-voz do governo, Fernando Vaz, actualmente em visita de trabalho a Dacar.

Vaz disse que Guiné-Bissau fará parte dessa força internacional com um contingente de cem homens e sob o comando de um General do Senegal.

O ministro guineense desvalorizou as preocupações em torno do embargo internacional imposto as forças armadas do seu país tendo afirmado que esta medida afecta apenas alguns altos oficiais e dirigentes das forças armadas guineenses.

"O meu país não está sob nenhum embargo militar internacional. O que acontece é que existem algumas sanções que pendem sobre os oficiais dirigentes das nossas forças armadas e não são todos."

O ministro da presidência e porta-voz do governo de transição adiantou que o contexto actual em que se insere o país dá o reconhecimento ao país de poder agir no quadro da CEDEAO, região pela qual a Guiné-Bissau tem um espaço de manobra de circulação total.

"Portanto essa questão não se coloca perante esta situação que a CEDEAO nos propõe, e é quem está a pilotar o processo de transição política na Guiné-Bissau."

Quando questionado se não era necessário um mandato da Assembleia Nacional para participação numa missão de paz no estrangeiro e se o partido maioritário o PAIGC não iria bloquear esta missão militar no parlamento, Fernando Vaz respondeu afirmando que esta não era uma medida do governo, mas sim dos chefes Estados da região.

"Foi a cimeira dos chefes de Estados da CEDEAO que deicidiu... Portanto esta questão não será discutida e nem levada ao parlamento e penso que não haverá nenhum problema. E quero lhe dizer que a conjuntura [política na Guiné-Bissau] hoje é completamente diferente. Nós tivemos pela pela primeira vez deputados do PAIGC presentes na abertura da legislatura do 2013. Dos 100 deputados 96 estavam presentes de forma que a conjuntura que me refere ela hoje já não existe."
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 18 de Abrili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
18.04.2014
Vídeo

Vídeo "Temos muitos problemas na Guiné-Bissau", Abel Incada, candidato presidencial

Os guineenses foram às urnas a 13 de Abril e estão expectantes num novo Governo de paz e estável
Vídeo

Vídeo África do Sul vai a votos a 7 de Maio

Na África do Sul, o ANC está em campanha difícil para segurar o seu domínio no Limpopo, onde ganhou 85 por cento dos votos em 2009.
Vídeo

Vídeo Pistorius está no banco dos réus e a acusação tem sido dura

Os acusadores tentaram descrever o atleta sul-africano Oscar Pistorius como egoísta e abusivo durante o segundo dia de interrogatório no seu julgamento por homicídio.
Mais Vídeos