sexta-feira, 29 maio, 2015. 22:16 UTC

Notícias / Angola

Falta de água em Luanda ameaça saúde pública

As autoridades angolanas apontam a falta de chuva como a causa fundamental da escassez do precioso líquido.

O drama de Luanda, como se vê nesta foto de arquivo do Kazenga, ou é a falta de água ou o seu excesso.
O drama de Luanda, como se vê nesta foto de arquivo do Kazenga, ou é a falta de água ou o seu excesso.
Coque Mukuta
A falta de água em Luanda está a causar dissabores aos seus residentes que se queixam de um aumento dos perigos para a saúde pública.

As autoridades dizem estar a fornecer água aos hospitais com camiões cisterna
Há mais de 30 dias que se regista um racionamento estrito da água na capital angolana que só corre algumas horas por dia, geralmente da parte da manhã.

As autoridades angolanas apontam a falta de chuva como a causa fundamental da escassez do precioso líquido.

Manuel João Neto estudante do ensino médio, contou que a vida na escola está cada vez mais difícil afirmando que os estudantes  preferem mesmo não usar os quartos de banhos pelo péssimo estado de higiene a que se encontram.

  “A falta de água está difícil para os quartos de banhos, por isso prefiro não utilizar” disse, alertando para possibilidade de doenças devido á falta de higiene.

O estudante Tomás Salvador Domingo, muitas vezes tem que ir à escola sem tratar da higiene pessoal por falta de água.

“A falta de água é um pesadelo para todos nós e para as nossas casas porque sem água não se faz nada não se lava roupa não se toma banho. É muito difícil” disse Domingo que firsou tambem a falta de água na escola.

“A escola está muito mal com as casas de banhos muito sujas e muito desorganizadas” adiantou

Já uma vendedora de legumes no mercado informal, Diamantina Ferreira, disse à nossa reportagem que para lavar os seus produtos tem de se levantar às 3 horas da manhã e percorrer quilómetros para conseguir água.

“Hoje acordei as 4 horas da manhã e não tinha água,” disse.

Além dos mercados e das escolas, os hospitais de Luanda passam pelos mesmos problemas, como constatou a nossa reportagem, jntup de funcionários da limpeza, enfermeiros e vários pacientes.

Segundo o porta-voz da EPAL, Domingos Paciência, a empresa colocou à disposição dos hospitais cinco camiões-cisterna para distribuir água às unidades hospitalares

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Sakala: "Huambo é caso para tribunal internacional; Cabinda devia ser região autónoma"i
X
29.05.2015 15:05
Alcides Sakala, porta-voz da UNITA, principal partido da oposição em Angola, fala do caso Kalupeteka (dezenas de pessoas morreram de forma misteriosa), considerando-o o ponto mais alto das violações dos direitos humanos. Cabinda por seu lado devia ser autónoma como a Madeira. Entrevista a 22 de Maio
Vídeo

Vídeo Sakala: "Huambo é caso para tribunal internacional; Cabinda devia ser região autónoma"

Alcides Sakala, porta-voz da UNITA, principal partido da oposição em Angola, fala do caso Kalupeteka (dezenas de pessoas morreram de forma misteriosa), considerando-o o ponto mais alto das violações dos direitos humanos. Cabinda por seu lado devia ser autónoma como a Madeira. Entrevista a 22 de Maio
Vídeo

Vídeo Protestos em Bujumbura

O ambiente em Bujumbura continua sob muita tensao. Hoje foi dia de protestos na capital do Burundi
Vídeo

Vídeo Manchetes do Mundo 25 de Maio 2015

As imagens noticiosas do mundo
Mais Vídeos