terça-feira, 09 fevereiro, 2016. 01:21 UTC

    Notícias / Angola

    Populares cortam estradas em protesto as demolições de casas em Luanda

    Cerca de uma centena de residentes que perderam as casas por ordem de fiscais municipais protagonizaram o acto que limitou a circulação nas direcções norte e sul de sul da capital

    Governo angolano tem demolido nos últimos anos os alojamentos precários de milhares de cidadãos para dar espaço a novas obras as vezes privadas (Foto de arquivo)
    Governo angolano tem demolido nos últimos anos os alojamentos precários de milhares de cidadãos para dar espaço a novas obras as vezes privadas (Foto de arquivo)

    Multimédia

    Áudio
    • Luanda: Residentes cortam estrada por causa de demolições

    Coque Mukuta
    Oitenta e seis famílias no Município do Cacuaco em Luanda viram as suas residências a serem destruídas pelos alegados fiscais daquela zona que levou os populares a bloquearem durante amanha de hoje a Via Expressa que liga o ponto norte (Cacuaco) ao ponto sul de Luanda (Benfica).

    Alcino Gomes um dos desalojados na manhã de hoje, no Bairro Nhanda, Município do Cacuaco em Luanda afirmou a nossa reportagem estarem desde 2007 naquela zona e que só partiram para a interdição da via expressa Cacuaco Benfica por não saberem onde se dirigirem.

    "Vimos que não vamos aguentar estes homens, então por isso decidimos entornar a via pública. Enquanto que nós estamos aqui na rua, partiram as nossas casas, nós também vamos bloquear a via” disse o revoltado o entrevistado.

    Os residentes queixaram da ausência dos responsáveis munipais no local no período que antecedeu as demolições para explicar as suas razões.

    "Até a este momento a dona Rosa não diz nada” acrescentou.

    José António, um outro entrevistado disse à Voz da América que foram surpreendidos por fiscais alegadamente ligados a administração do Cacuaco e que foram encaminhados três moradores para aquela administração.

    "As casas que estão partidas são oitenta e seis, e levaram três pessoas duas moças e um moço” frisou.

    A administradora de Cacuaco, Rosa Janota esteve no local, onde segundo os populares terá garantido um próximo encontro com os revoltosos. Contactado pela Voz da América Rosa Janota rejeitou dar qualquer explicação sobre o assunto.
    O forúm foi encerrado
    Comentário
    Comentários
         
    por: anonímo de: luanda
    20.12.2012 12:14
    isso tem mão dos donos de angola. mas um dia vai acabar e qdo acontecer seremos nós a partir ou demolir todas casas vossas.


    por: Dikas Daki de: Luanda
    18.12.2012 00:40
    O Governo precisa saber que o povo também retalha, no entanto, não podem agir como se o povo não existisse... Onde anda o dito diálogo? Se por acaso viviam em zonas impróprias, porquê deixaram contruir?


    por: lacey duvalle de: Luanda
    17.12.2012 08:35
    MPLA perdeu as eleições em Cacuaco, desde então os munícipes nunca mais tiveram paz, Bancos da aquela zona sempre abarrotados nunca têm dinheiro necessário, no final de semana os multi-caixas sem dinheiro, luz água e segurança é uma tornou-se uma miragem, vendem bairros com os moradores, não há saneamento básico em muitos cantos de Cacuaco esta dona Rosa não sabe dos nossos problemas no município....


    por: Luisnegro de: Nederland
    14.12.2012 22:04
    Isso so vimos em angola onde o m.p.l.a tem Como seu maior inimigo o propio povo angolano pais do pai banana
    O M.P.L.A e mais forte entre o diabo e seus demonios

    Siga-nos

    Rádio

    AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

    Sexta 16:30 - 17:30 UTC
     

    AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

    Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
     

    AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

    Sexta-feira 17:30 UTC
     

    AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

    Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

    Os Nossos Vídeos

    Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
    Manchetes Mundo 8 Fevereiro 2016i
    X
    08.02.2016 20:00
    Mais Vídeos