segunda-feira, 22 setembro, 2014. 00:09 UTC

Notícias / Angola

Kwanza Sul: Ingresso no Instituto de Petróleos custa os olhos da cara

Na província do Kwanza-Sul, para se ter acesso à Faculdade e Instituto Médio de Petróleos estão a ser cobrados valores que vão de dois mil a três mil dólares americanos a cada educando

Aspecto da cidade do Sumbe
Aspecto da cidade do Sumbe
Fernando Caetano
Na província do Kwanza-Sul, para se ter acesso à Faculdade e Instituto Médio de Petróleos estão a ser cobrados valores que vão de dois mil a três mil dólares americanos a cada educando. Por este facto muitas vozes se levantam em anonimato, num claro protesto a tais irregularidades que a continuar vicia e ao mesmo tempo enferma o sistema educativo.

Se os sistemas de ensino e aprendizagem têm-se revelado muito aquém dos níveis desejados por ausência de inspectores escolares, facto que tem dado azo às famosas “gasosas “para se obter nota que facilita a transição de classe, não é lícito que a entidade patronal, o Ministério da Educação e a Direcção Provincial em particular olhem impávidos e serenos para esse fenómeno que propicia a corrupção no sector educativo.

Uma série de pressupostos para justificar a cobrança de tais valores são apresentados pelas instituições supracitadas, a Universidade Katiavala Bwila, vocacionada na formação de docentes, e o Instituto Nacional de Petróleos, vocacionado na formação de técnicos do ramo petrolífero. Desta feita, só os filhos dos abastados ou seja, de detentores de fortunas poderão ter acesso a essas instituições de ensino universitário e profissional, relegando os educandos dos de baixa renda a apenas ao ensino médio.

O Ministro da Educação de Angola reconheceu no IV Conselho Técnico do seu Ministério, realizado na cidade do Sumbe, que o ensino e aprendizagem ainda se afiguram débeis. Mpinda Simão sustentou que vários mecanismos concorrem para o insucesso do ensino e aponta a necessidade de se engendrar novos métodos para que até 2020 haja um ensino de qualidade:

“A qualidade de aprendizagem continua em muitos casos aquém do perfil de saída julgado indispensável a formação adequada de técnicos médios e superiores nacionais necessários ao desenvolvimento sustentado do nosso País, até 2020 de acordo com a estratégia nacional de formação de quadros e respectivo plano orientador adoptado pelo executivo”, disse.

Mpinda Simão que no IV conselho técnico do MED realizado na cidade do Sumbe reconheceu debilidades na qualidade de ensino e aprendizagem cujo cerne parte do enriquecimento fácil que alguns gestores provinciais do sector pretendem com a introdução de novas políticas de comparticipação a que estão sujeitos os educandos e seus encarregados. Só para recordar: Para uma aula de explicação para os testes de admissão a faculdade os docentes no Sumbe estão a cobrar por cada estudante, 600 dólares.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 19 Setembro 2014i
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
19.09.2014 17:49
As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 19 Setembro 2014

As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Aniversário Westgate - Ataque terrorista ainda abala as vítimas

Um ano depois do ataque terrorista ao Centro Comercial Westgate em Nairobi, os sobreviventes continuam abalados com a tragédia. A VOA conta a história das vítimas que ainda questionam: “Como é que isto aconteceu?
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 18 Setembro 2014

Noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 17 Setembro 2014

As imagens de Africa que fazem noticia
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 16 Setembro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Prostituição infantil em Nairobi

Na favela de Korogocho, em Nairobi, raparigas com apenas 15 anos de idades dedicam-se à prostituição como meio de ganhar a vida. Elas são o alvo de uma organização não-governamental chamada Iniciativa Miss Koch, que tem realizado o trabalho de resgatar essas menores e com resultados positivos.
Mais Vídeos