quarta-feira, 20 agosto, 2014. 10:44 UTC

Notícias / Mundo

Afeganistão: Presença do Irão cada vez mais palpável

Mais de um milhão de afegãos refugiaram-se durante a guerra no país vizinho e estão agora a voltar trazendo consigo a cultura e religião do Irão.

Universidade Islâmica Khatam al Nabeyeen financiada pelos iranianos
Universidade Islâmica Khatam al Nabeyeen financiada pelos iranianos
Redacção VOA
No momento em que os Estados Unidos avaliam a sua futura presença no Afeganistão depois da partida das forças de combate em 2014, analistas afegãos salientaram à VOA em Kabul que o Irão também está interessado em influenciar o futuro do país vizinho.

Na estrada de Darul Aman em Kabul pode ver-se uma grande mesquita azul e branca. Por detrás do templo encontra-se a Universidade Islâmica Khatam al Nabeyeen e os dormitórios dos estudantes. O complexo foi erigido com a ajuda do Irão e lá estuda-se a versão islâmica do Irão.

Naquela zona ocidental de Kabul a maior parte da população é constituída por muçulmanas chitas afegãs. Muitos deles regressaram do Irão depois da queda dos talibãs.


De acordo com Ahmad Saeedi, um analista político e ex-diplomata, a influência do Irão é cada vez mais pronunciada: “O Afeganistão está cercado pela influência iraniana. Actualmente dispomos de 6 canais de televisão pró-iranianos. Por outro lado 21 estações de rádio e grande número de publicações são também pró-iranianas. A guerra cultural é mais importante do que a guerra das armas”.

O analista político Khalid Mafton afirma por seu lado que a estratégia do Irão destina-se a aumentar a sua base de apoio junto da minoria chita e contrabalançar a influência americana e ocidental no Afeganistão: “A sua agenda a longo prazo é ter na sociedade afegã algumas pessoas que apoiem o regime e a cultura iranianas. A curto e médio prazos trata-se de prejudicar as forças militares americanas no Afeganistão.”

De algum modo o relacionamento entre o Afeganistão e o Irão é natural. Mais de um milhão de afegãos refugiaram-se durante a guerra no país vizinho e estão agora a voltar depois de uma estadia de 3 anos. Muitos deles trazem consigo a cultura e a religião do Irão.

O Afeganistão tem uma longa fronteira com o Irão e depende grandemente do país vizinho no que se refere à suas importações de combustíveis. No total o Irão exporta todos os anos para o Afeganistão bens no valor de 2 mil milhões de dólares.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Americanas 19 Agosto 2014i
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
19.08.2014 18:04
Noticias da America
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 19 Agosto 2014

E se uma aplicação lhe dissesse qual o seu valor como noiva? Pois já existe!
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 18 Agosto 2014

As notícias que marcam o início da penúltima semana de Agosto, no continente africano
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 15 Agosto 2014

As notícias de África em 60 segundos
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 14 Agosto 2014

Os assuntos que marcam a actualidade africana em apenas 60 segundos
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 13 Agosto 2014

As principais notícias que marcam a actualidade do continente africano
Vídeo

Vídeo "É preciso criar financiamento para mulheres no negócio informal", Lígia Fonseca

Entrevista nos estúdios da VOA com Lígia Fonseca, primeira-dama de Cabo Verde e advogada de profissão, que esteve em Washington, por ocasião da cimeira EUA/ África. Agosto 2014 ......
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 12 Agosto 2014

A actualidade africana em 60 segundos
Vídeo

Vídeo "Convite de Michelle Obama: certeza de que podemos estabelecer parcerias"

Na entrevista para a VOA, a primeira-dama de Cabo Verde, Dra. Lígia Fonseca, comentou a importância do convite da primeira-dama americana, Michelle Obama, e analisou a condição da mulher cabo-verdiana. Lígia Fonseca esteve em Washington, por ocasião da cimeira EUA/ África
Mais Vídeos