terça-feira, 02 setembro, 2014. 04:16 UTC

Notícias / África

Crimes sexuais alvo de mais atenção

A procuradora chefe do Tribunal Penal Internacional afirmou que os governos e a sociedade civil estão a mostrar cada vez mais empenhamento em combater crimes sexuais e outra violência contra mulheres.

Fatou Bensouda, procuradora-chefe do Tribunal Penal Internacional.
Fatou Bensouda, procuradora-chefe do Tribunal Penal Internacional.
A procuradora chefe do Tribunal Penal Internacional afirmou que os governos e a sociedade civil estão a mostrar cada vez mais empenhamento em combater crimes sexuais e outra violência contra mulheres. Fatou Bensouda falava a jornalistas em Dacar, na abertura de uma conferência sobre mulheres juristas.

Fatou Bensouda disse que tem ouvido comunidades falarem mais e mais abertamente sobre a violência sexual contra mulheres e visto um cada vez maior empenhamento de governos e da sociedade civil para enfrentarem tais crimes. Disse que isso faz parte de uma evolução sobre como o mundo olha para a violência sexual.

O Tribunal Penal Internacional, que assinala esta semana o seu décimo aniversário, tem 15 casos do género pendentes.

Bensouda notou que às delegadas à conferência de Dacar, patrocinada pela Federação Internacional das Mulheres em Carreiras Jurídicas, que desses 15 casos, 11 dizem respeito a acusações de violência sexual – um sinal, disse, de como a lei penal internacional evoluiu ao ponto de dar atenção que merecem os crimes sexuais.

Em 1990 a violação foi classificada como um instrumento de genocídio. E o Tribunal Especial para a Serra Leoa classificou o casamento forçado como um crime contra a humanidade.

Todos os 15 casos pendentes no Tribunal Penal Internacional dizem respeito a alegados crimes em África.

Respondendo a uma pergunta de um jornalista senegalês se o Tribunal Penal Internacional esta incorrectamente a “alvejar” Africa, Fatou Bensouda apelou para uma mudança no foco das atenções de perpetradores para vitimas – que são também africanas:

“O Tribunal Penal Internacional está com as vítimas desses crimes. Estamos também a trabalhar pelas vítimas desses crimes. São vítimas africanas. E merecem justiça. E merecem uma voz. A intervenção do Tribunal Penal Internacional em África é largamente o resultado de África se dirigir ao Tribunal e requisitar que ele resolva esses crimes. Penso que temos de reajustar o nosso pensamento e começar a pensar nas vítimas desses crimes. Elas merecem justiça. Elas merecem paz. Podem usufruir ambas as coisas.”

Referindo-se a um caso judicial há muito pendente sobre o Senegal – o do antigo líder do Chade, Hissene Habré, que vive no país há décadas – Bensouda disse que o Tribunal Penal Internacional não tem jurisdição sobre o caso uma vez que os alegados crimes ocorreram antes do tribunal existir. Mas acrescentou que o tribunal “esta pronto para partilhar experiências” com o Senegal que possam embarcar numa investigação e julgar o caso.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 29 Agosto 2014i
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
29.08.2014 18:11
As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 29 Agosto 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Ferguson olha para o Futuro

Um grande júri no estado de Missouri continua a ouvir testemunhos do caso que envolve a morte a tiro de um jovem africano-americano por um agente policial branco. O caso ocorreu no dia 9 de Agosto na cidade de Ferguson.
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 28 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 28 Agosto 2014

As principais notícias que encerram a última semana do mês de Agosto, nos Estados Unidos
Vídeo

Vídeo Lei Russa Contra a Profanação

A Rússia promulgou em Julho uma lei que ameaça multar actos de profanação nos media, filmes, literatura, na música e no teatro. A restrição foi bem recebida por quem diz que a blasfémia está fora do controlo, outros rejeitam a decisão por considerarem tratar-se de paternalização e censura
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 27 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 26 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 26 Agosto 2014

Os principais títulos americanos na última semana de Agosto
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 25 Agosto 2014

As noticias de Africa em video
Mais Vídeos