sexta-feira, 18 abril, 2014. 10:35 UTC

Notícias / Angola

Lubango aguarda com expectativa decisões do novo governador sobre demolições

O plano de reordenamento da cidade iniciado em 2008 pelo então governador, Isaac dos Anjos, ficou marcado por contestadas e polémicas demolições.

Senhora do Monte, Lubango (Angola)
Senhora do Monte, Lubango (Angola)
Tamanho das letras - +
Teodoro Albano
As organizações da sociedade civil aguardam com expectativa a forma como o novo governador da Huíla, João Marcelino Tchipingui, irá lidar com o processo de requalificação da cidade do Lubango.

O programa iniciado em 2008 pelo então governador, Isaac dos Anjos, ficou marcado pelas contestadas e polémicas demolições em 2010 que deixaram mais de duas mil famílias ao relento mas teve o mérito de dar origem a novos e muito cobiçados bairros também designados por novas centralidades.

A Associação Construindo Comunidades, ACC, ligada a defesa dos direitos humanos na Huíla espera que o novo governador, João Marcelino Tchipingui, continue com o projecto de requalificação da cidade com base no respeito da dignidade humana.

O padre Jacinto Pio Wakussanga acredita na sensibilidade do actual gestor da província, com quem, refere, já trocou impressões sobre o assunto enquanto apenas 1º secretário do partido no poder;

“Acredito de facto que já há uma base de diálogo cimentada a nível pessoal neste sentido, só auguramos ao novo governador que realmente, enfim, não haja mudança radical no sentido de reverter os pontos de vistas já construídos a partir daquela altura haja de facto compromisso com o cidadão compromisso com as leis nacionais e os pactos internacionais”.



E a associação Mãos Livres, na voz do advogado, David Mendes, duvida que possa haver mudanças significativas na atitude de João Marcelino Tchipingui na gestão do processo; “Este governador foi o 1º secretário do MPLA durante todos estes anos e durante o mandato dele enquanto 1º secretário do MPLA não vimos nenhuma acção dele contra as demolições por isso temos algumas dúvidas”.

E João Marcelino Tchipingui garante que a requalificação da capital da Huíla está entre as prioridades do seu governo.

O chefe do executivo da Huíla não detalha como irá proceder, mas faz saber que é preciso acabar com a anarquia provocada pelo tempo de guerra; “Foi um momento difícil momento de guerra que não se podia impedir que as populações construíssem onde pudessem também nessa altura a administração perdeu capacidade porque o assalto era muito grande, mas agora chegou o momento de irmos resolvendo paulatinamente o problema dessas populações e fazer com que as vias possam interligar e acabarmos com o problema dos engarrafamentos desnecessários e temos que tomar conta do Lubango”,  governador da Huíla, João Marcelino Tchipingui.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 17 de Abrili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
17.04.2014
Vídeo

Vídeo "Temos muitos problemas na Guiné-Bissau", Abel Incada, candidato presidencial

Os guineenses foram às urnas a 13 de Abril e estão expectantes num novo Governo de paz e estável
Vídeo

Vídeo África do Sul vai a votos a 7 de Maio

Na África do Sul, o ANC está em campanha difícil para segurar o seu domínio no Limpopo, onde ganhou 85 por cento dos votos em 2009.
Vídeo

Vídeo Pistorius está no banco dos réus e a acusação tem sido dura

Os acusadores tentaram descrever o atleta sul-africano Oscar Pistorius como egoísta e abusivo durante o segundo dia de interrogatório no seu julgamento por homicídio.
Vídeo

Vídeo A luta dos medicamentos baratos

O Governo da África do Sul vai aprovar reformas sobre propriedade intelectual – incluindo patentes de medicamentos – que para activistas de saúde poderão permitir que mais sul-africanos possam ter acesso a medicamentos genéricos,
Mais Vídeos