sexta-feira, 31 outubro, 2014. 03:59 UTC

Notícias / África

Eleições pós-golpe na Guiné-Bissau poderão ser adiadas

Pais precisa de "reforma estrutural politica" que só pode ser levada a cabo durante um periodo de vários anos, diz porta-voz do governo

Lassana Casamá
O porta-voz do governo de transição da Guiné Bissau Fernando Vaz defendeu a prorrogação desse governo por vários meses ou mesmo anos.

Fernando Vaz falava em nome do seu partido, a União Patriótica Guineense, no congresso de um outro partido que apoiou o golpe de estado de Abril, o Partido da Renovação Social.

Para Vaz a Guiné-Bissau precisa de “estabilidade duradoura” pois a “destabilização do quadro político tem sido cíclica e endémica”.

“Pensamos por isso que é necessário consolidar-se a estruturas democráticas e para isso é preciso tempo, pois isso não se pode fazer em seis meses ou num ano,” disse Vaz.

“Entendemos que é necessário uma reforma estrutural política e com isso ganhamos tempo para a reforma do sector de defesa e segurança,” acrescentou.

Para Fernando Vaz “é fundamental haver um pacto de regime em que futuramente nos próximos oito ou dez anos seja quem ganhar eleições terá no seu governo a representação daquilo que é a malha política da sociedade guineense”.

“Não estamos a inventar nada pois isso sucede em vários países de África com sucesso,” acrescentou.

Interrogado sobre qual o período de transição que defende Vaz disse que isso será alvo de discussões mas disse ser a posição do seu partido um período de “três a quatro anos”

As declarações de Vaz foram feitas no dia em que o Conselho de Segurança se reunia para analisar um relatório do Secretário-geral da ONU, Ban Ki moon em que este descartou a hipótese apresentada anteriormente pelo governo de transição para a realização de eleições.

Ban propôs no seu relatório um “roteiro” para o regresso á “ordem constitucional” elaborado  pela ONU, União Africana, União Europeia, CEDAO, CPLP e as partes políticas guineenses.

No congresso do Partido da Renovação Social o  derrubado primeiro ministro Carlos Gomes Júnior foi acusado de “irresponsabilidade e de terrorismo de estado”.


No Congresso vai ser eleita uma nova liderança, entre cinco candidatos a presidência e três candidatos ao cargo de Secretário-geral.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Americanas 30 Outubro 2014i
X
30.10.2014 21:02
As principais notícias que marcam a última semana do mês de Outubro, nos Estados Unidos
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 30 Outubro 2014

As principais notícias que marcam a última semana do mês de Outubro, nos Estados Unidos
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 30 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 29 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 28 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 24 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Levados pelo Boko Haram

O mundo espera para ver se a Nigéria consegue negociar a libertação das 219 raparigas da escola de Chibok, raptadas pelo grupo islâmico Boko Haram em Abril. Activistas dizem que o Boko Haram já raptou centenas de jovens rapazes, mulheres e crianças, desde 2009.
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Mãe Trabalhadora - trailler do filme

O filme explora a dupla responsabilidade das mulheres moçambicanas, como mães e trabalhadoras. Gentilmente cedido pelo Organização Internacional do Trabalho
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 22 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Ébola e os órfãos da Serra Leoa

Centenas de crianças ficaram órfãos na Serra Leoa devido ao surto do vírus do Ébola, são vítimas do estigma e da rejeição. Os familiares não querem saber deles. A Serra Leoa abriu o primeiro orfanato de vítimas do Ébola no distrito de Kailahun.
Mais Vídeos