quinta-feira, 17 abril, 2014. 09:44 UTC

Notícias / Estados Unidos

EUA: Irão nuclear é problema delicado na campanha eleitoral

Barack Obama e Mitt Romney consideram que o programa nuclear iraniano é uma ameaça aos interesses dos Estados Unidos.

Presidente Barack Obama (D) e o candidato republicano Mitt Romney
Presidente Barack Obama (D) e o candidato republicano Mitt Romney
Tamanho das letras - +
VOA Português
— O programa nuclear iraniano tem estado nos desafios enfrentados pelas últimas quatro administrações dos Estados Unidos. O tema tem sido um ponto de debate pelos candidatos às presidenciais de 2012.

O candidato republicano Mitt Romney criticou o Presidente Obama por ser demasiado brando para com Teerão, mas a administração Obama contesta tal asserção destacando que as sanções internacionais impostas foram formuladas por Washington.


O antigo governador de Massachusetts e candidato presidencial Republicano, Mitt Romney não acredita que o presidente Barack Obama tenha o suficiente para impedir o Irão de produzir uma arma nuclear.

“Desde o inicio que penso que um dos desafios que temos tido com o Irão é que eles vêm que esta administração não suficientemente enérgica como seria de esperar”.

Durante o terceiro de ultimo debate, o presidente Obama defendeu a sua actuação.

“Enquanto for presidente dos Estados Unidos, o Irão não vai ter uma arma nuclear. Declarei isto logo que cheguei à Casa Branca”.

Mitt Romney considera no entanto que os Estados Unidos devem fazer mais do que têm feito até agora.

Os dois candidatos consideram que o programa nuclear iraniano é uma ameaça aos interesses dos Estados Unidos.

O analista Ari Ratner, do Projecto Truman sobre Segurança Nacional, refere que, por natureza a política externa americana é bi partidária, e impedir o Irão de obter armas nucleares é um exemplo claro.

“Os interesses nacionais americanos não mudam muito de uma administração para outra. Muitas das críticas de Romney a Obama não passam de tentativa de impressionar, de desejar mostrar-se forte”.

Os Estados Unidos e os seus aliados rejeitaram a exigência do primeiro-ministro israelita de impor condições ao programa nuclear iraniano.

Na Assembleia Geral da ONU, Netanyahu fez isso exactamente sublinhando que o próximo passo será um ataque militar contra as instalações nucleares de Teerão.

O Irão tem ameaçado retaliar contra qualquer ataque, e Mitt Romney manifesta-se contra a administração Obama por não dizer claramente que Washington vai apoiar Israel se este for atacado, ao que o presidente deixou bem claro que os Estados Unidos não vão abandonar o seu aliado de longa data.

Na intervenção perante a Assembleia Geral das Nações Unidas, Obama afirmou permanecer comprometido com os mecanismos diplomáticos, económicos e políticos, mas que poderá explorar o que definiu como sendo uma multiplicidade de opções no caso de Teerão não vergar.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 16 de Abrili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
16.04.2014
Vídeo

Vídeo "Temos muitos problemas na Guiné-Bissau", Abel Incada, candidato presidencial

Os guineenses foram às urnas a 13 de Abril e estão expectantes num novo Governo de paz e estável
Vídeo

Vídeo África do Sul vai a votos a 7 de Maio

Na África do Sul, o ANC está em campanha difícil para segurar o seu domínio no Limpopo, onde ganhou 85 por cento dos votos em 2009.
Vídeo

Vídeo Pistorius está no banco dos réus e a acusação tem sido dura

Os acusadores tentaram descrever o atleta sul-africano Oscar Pistorius como egoísta e abusivo durante o segundo dia de interrogatório no seu julgamento por homicídio.
Vídeo

Vídeo A luta dos medicamentos baratos

O Governo da África do Sul vai aprovar reformas sobre propriedade intelectual – incluindo patentes de medicamentos – que para activistas de saúde poderão permitir que mais sul-africanos possam ter acesso a medicamentos genéricos,
Mais Vídeos