sábado, 20 setembro, 2014. 20:00 UTC

Notícias / Mundo

Força da SADC para Congo-Kinshasa vai ter 4 mil homens

Cimeira ministerial da SADC na Tanzânia ditou que o contingente deve estar pronto dentro de uma semana; confirmação de Tomaz Salomão, Secretário-Executivo da organização regional

Líderes da SADC antes dos trabalho da Cimeira de Joanesburgo (Arquivo)
Líderes da SADC antes dos trabalho da Cimeira de Joanesburgo (Arquivo)

Multimédia

Áudio
Redacção VOA
A Comunidade de Desenvolvimento da África Austral – SADC – tem em preparação os meios logísticos com vista ao envio de uma força neutra para o leste da República Democrática do Congo.

O Secretário-executivo da SADC, Tomaz Salomão disse quarta-feira à Voz da América que a sua organização prioriza o envio desta força de 4 mil homens, cujos detalhes estão ser definidos pelas altas chefias militares dos países da região.

Salomão disse ainda que esses detalhes deverão estar concluídos o mais tardar até à próxima semana (16-21 de Dezembro), isto de acordo com uma recomendação da cimeira ministerial da SADC realizada no passado dia 8 de Dezembro em Dar-es-Salam na Tanzânia.

O Secretário-executivo da SADC foi convidado a comentar a suspensão das conversações de paz entre o governo da República Democrática do Congo e a rebelião M23. Uma suspensão que desvalorizou.

"Não está nada perdido, este é um primeiro passo. Vamos ter paciência. O importante é que começaram a falar."

Tomaz Salomão evocou o roteiro programático das negociações entre o governo de Kinhasa e a rebelião M23.

"Número um, a retirada militar. Número dois, o início do diálogo para se conhecer as preocupações do M23. O úlitmo e mais importante, é a colocação da força neutra."

Segundo ainda o Secretário-Executivo da SADC, a força neutra a ser enviada para a República Democrática do Congo pode integrar tropas não apenas dos países da região. Tomaz Salomão considera que todos os países africanos podem fazer parte do contingente, desde que os seus respectivos governos assim o decidir.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: joao antonio de: lobito
17.12.2012 10:16
a rdc e uma ferida cronica em africa pois se as nacoes unidas estao a patinar nao sera as organi9zacoes regionais africanas que o vao conseguir porque a sua organizacao no aspecto de forca nao e tao eficaz porque a rdc teve um parto de independencia muito sangrento que a hemorrogia politica ainda se faz sentir ate a actualidade


por: Anónimo
13.12.2012 10:47
O PROBLEMA DO CONGO ESTA NAS MAOS DO PROPRIO KABILA E, KAGAME E MUSEVENI , ELES ESTAO A JOGAR ZADREZ PARA PERMANECEREM NO PODER , O GOVERNO INGLES AJUDA RUWANDA , ONDE OS REBELDES RECEBEM SUPORTE PARA O ARSENEL MILITAR Q EXIBEM ? QUEREM CRIAR UMA ZONA PROPICIA PARA ROUBAREM E VENDEREM AS RIQUEZAS AOS VAMPIROS Q LHES METAMORFOSARAM .

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 19 Setembro 2014i
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
19.09.2014 17:49
As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 19 Setembro 2014

As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Aniversário Westgate - Ataque terrorista ainda abala as vítimas

Um ano depois do ataque terrorista ao Centro Comercial Westgate em Nairobi, os sobreviventes continuam abalados com a tragédia. A VOA conta a história das vítimas que ainda questionam: “Como é que isto aconteceu?
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 18 Setembro 2014

Noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 17 Setembro 2014

As imagens de Africa que fazem noticia
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 16 Setembro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Prostituição infantil em Nairobi

Na favela de Korogocho, em Nairobi, raparigas com apenas 15 anos de idades dedicam-se à prostituição como meio de ganhar a vida. Elas são o alvo de uma organização não-governamental chamada Iniciativa Miss Koch, que tem realizado o trabalho de resgatar essas menores e com resultados positivos.
Mais Vídeos