quarta-feira, 16 abril, 2014. 07:24 UTC

Notícias / África

Congo: M23 retira-se de Goma

Os rebeldes estão a retirar-se na sequência do acordo com o presidente Joseph Kabila patrocinado pelos líderes da região dos Grandes Lagos.

Rebeldes do grupo M23
Rebeldes do grupo M23
Tamanho das letras - +
Redacção VOA
Os rebeldes do grupo M23 estão a retirar-se do território que ocuparam na semana passada na região da cidade de Goma no leste do Congo Kinshasa.

Os rebeldes dizem que estão a retirar-se para dar início a negociações no âmbito do acordo concluído com o governo congolês.

O M23 apoderou-se da localidade de Sake e da cidade de Goma há mais de uma semana na sequência de confrontos com as forças congolesas apoiadas pelas Nações Unidas.

Agora, estão a retirar-se da zona no âmbito do acordo concluído com o presidente Joseph Kabila apoiado pelos líderes da região dos Grandes Lagos durante a sua cimeira do fim-de-semana.

O porta-voz do M23 Bertrand Bisimwa afirmou á VOA que a retirada vai demorar o seu tempo: “Estamos agora no processo de retirada. O processo começou na quarta-feira de manhã e prossegue até agora. Não podemos dizer se vai terminar hoje ou amanhã. O que é importante é que já começou”.

Os guerrilheiros do M23 deixaram as fileiras do exército congolês em Abril passado por causa de divergências sobre o acordo de paz de 2009 integrando os rebeldes nas forças armadas.

À medida que os rebeldes conseguiram apoderar-se de mais território no leste do Congo aumentaram também a sua lista de exigências incluindo a libertação de presos políticos e um maior diálogo com a oposição. Dizem igualmente que a reeleição do presidente Kabila no ano passado é ilegítima.

Bisimwa afirma que o M23 espera que a retirada possa sentar o presidente à mesa das negociações para ouvir as suas reivindicações: “ Não temos provas de que Kabila vai aceitar negociar connosco. Mas podemos dizer que se a retirada de Goma for o preço a pagar para que isso aconteça temos que pagá-lo e estamos a pagá-lo agora”.

Uma equipa de verificação conjunta da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos encontra-se actualmente reunida em Goma com a liderança do M23 para facilitar a retirada e o regresso das forças do governo aquela região.

No início do dia cerca de 270 polícias congoleses que tinham fugido de Bukavu durante o avanço do M23 chegaram ao porto de Goma no Lago Kivu aguardando autorização para entrar na cidade.

Enquanto isso o nervosismo continuava a reinar entre os residentes de Goma e muitos estabelecimentos comerciais encontravam-se hoje fechados depois dos rebeldes do M23 terem saqueado muitas lojas e residências nos últimos dias.

O exército congolês foi igualmente acusado de ter cometido actos semelhantes quando as suas forças foram obrigadas a deixar a cidade.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Afrcianas 15 de Abrili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
15.04.2014
Vídeo

Vídeo "Temos muitos problemas na Guiné-Bissau", Abel Incada, candidato presidencial

Os guineenses foram às urnas a 13 de Abril e estão expectantes num novo Governo de paz e estável
Vídeo

Vídeo África do Sul vai a votos a 7 de Maio

Na África do Sul, o ANC está em campanha difícil para segurar o seu domínio no Limpopo, onde ganhou 85 por cento dos votos em 2009.
Vídeo

Vídeo Pistorius está no banco dos réus e a acusação tem sido dura

Os acusadores tentaram descrever o atleta sul-africano Oscar Pistorius como egoísta e abusivo durante o segundo dia de interrogatório no seu julgamento por homicídio.
Vídeo

Vídeo A luta dos medicamentos baratos

O Governo da África do Sul vai aprovar reformas sobre propriedade intelectual – incluindo patentes de medicamentos – que para activistas de saúde poderão permitir que mais sul-africanos possam ter acesso a medicamentos genéricos,
Mais Vídeos