terça-feira, 28 julho, 2015. 08:21 UTC

Notícias / Mundo

Hu Jintao: China enfrenta "desafios mortais" se não combater a corrupção

"Se o partido falhar, o erro poderá ser fatal e causar mesmo o colapso do partido e o do Estado".

Hu Jintao, presidente da China
Hu Jintao, presidente da China
Redacção VOA
Iniciou-se em Pequim o processo de transição na liderança da China, algo que acontece de dez em dez anos.

Numa longa intervenção para assinalar o início do 18º congresso partidário, o presidente Hu Jintao chamou à atenção para o facto de o partido e mesmo a própria China enfrentarem desafios mortais se não for feito algo para solucionar o problema da corrupção.

Na intervenção final como líder político do partido comunista chinês, que governa mais de mil e 300 milhões de pessoas, Hu Jintao acentuou.
 

A oposição à corrupção e a construção de um governo limpo são coisas que o partido deve pugnar, por ser algo a que a opinião pública presta atenção. Se o partido falhar neste ponto, o erro poderá ser fatal e causar mesmo o colapso do partido e o do Estado.

Os comentários de Hu registam-se na altura em que o encontro foi largamente ensombrado por um escândalo de corrupção envolvendo a figura de Bo Xilai.

Os comentários não poderiam ter sido mais atempados já que uma delegada de Xangai referiu não ser esta a primeira vez que uma entidade oficial tinha sido envolvida, e que o Partido Comunista Chinês está a prestar mais atenção a situações deste género.

O partido está consciente do problema, e, segundo estatísticas publicadas nos média estatais, o sistema disciplinar tratou de mais de meio milhão de casos de corrupção desde o congresso partidário anterior.

Todavia, analistas legais indicam que as iniciativas anticorrupção centram-se essencialmente nos responsáveis locais ou de baixa qualificação e raramente chegam aos escalões mais elevados da liderança partidária.

Hu Jintao acentuou que ninguém está acima da lei.

O Partido Comunista expulsou Bo Xilai, no início da semana, praticamente na altura em que os cerca de 2 mil e 300 delegados chegavam para participar no Congresso. Bo tem sido acusado de usar a sua posição para obter benefícios de outras entidades e de receber subornos, tanto pessoais como através de membros da família.

A corrupção não é o único desafio que a China enfrenta. A economia chinesa está a enfraquecer face à fraqueza da economia mundial e o aumento da divida interna, bem como aumenta a instabilidade social.

A opinião pública desconfia cada vez mais das promessas governamentais de combater a corrupção e apela para uma maior responsabilização e governação transparente.

Numa palavra, os dirigentes chineses reconhecem que o partido necessita de ouvir mais os desejos e as preocupações do público, mas as questões dos direitos humanos são amplamente ignoradas.

O director adjunto da Human Rights Watch Phil Robertson sustenta que as autoridades resistem a uma discussão alargada dos direitos humanos, por que receiam aonde possa conduzir.

“O governo chinês está muito preocupado com os direitos humanos no sentido de que no caso de os abordar vão abrir um ninho de cobras”.

Na véspera do congresso partidário, uma jovem mãe e três jovens monges imolaram-se pelo fogo como protesto pelas políticas da China sobre o Tibete.

A segurança foi aumentada em Pequim em antecipação do congresso, mas apesar disso, uma mulher de cerca de 30 anos foi capaz de realizar um protesto breve na Praça de Tiananmen antes de ter sido levada pela polícia.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Sudão: música salva pessoas da mortei
X
28.07.2015 06:19
Em 2012 o realizador sudanês Hajooj Kuka realizou um documentário entre os refugiados da Guerra civil no Nilo Azul, Sudão, e na região montanhosa de Nuba. E surpreendeu-se com o que ali viu – a música estava a ajudar a salvar pessoas que estavam a ser alvo de ataques aéreos do seu próprio governo
Vídeo

Vídeo Sudão: música salva pessoas da morte

Em 2012 o realizador sudanês Hajooj Kuka realizou um documentário entre os refugiados da Guerra civil no Nilo Azul, Sudão, e na região montanhosa de Nuba. E surpreendeu-se com o que ali viu – a música estava a ajudar a salvar pessoas que estavam a ser alvo de ataques aéreos do seu próprio governo
Vídeo

Vídeo Marvel Comics lança um novo Homem-Aranha: Miles Morales

Seja em quadradinhos ou na tela do cinema, fãs estão acostumados a ver Peter Parker por trás do Homem-Aranha. Mas isto está a mudar. A Marvel Comics lançou Miles Morales para substituir Peter Parker em uma nova série de quadradinhos. Ele é metade latino e metado afro-americano e já é bem popular.
Vídeo

Vídeo Procuradoras mulheres da Somália para fazer a diferença

Numa nação marcada por um longo conflito, corrupção e impunidade, o governo da Somália espera reconstruir o sistema de justiça do país e pela primeira vez trouxe seis procuradoras mulheres ao processo
Vídeo

Vídeo Jornalista cego da Somália

Apesar da melhoria de segurança, nos últimos anos, Somália continua um dos países mais perigosos para ser jornalista, pior para que não tem a capacidade de ver. Abdifatah Hassan Kalgacal têm reportado na última década a partir da capital daquele país. É cego
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Julho 2015

As imagens noticiosas de Africa
Mais Vídeos