quarta-feira, 16 abril, 2014. 07:24 UTC

Notícias / Mundo

Partido comunista chinês reforça vigilância contra a corrupção

O partido apelou aos membros para manterem princípios éticos e para constituírem exemplo

Tamanho das letras - +
Redacção VOA
Dirigentes do partido comunista chinês encerraram o congresso que se realiza de cinco em cinco anos, tendo acordado em introduzir uma emenda à carta do partido para reforçar a vigilância contra a corrupção das autoridades.

A medida aprovada no final das reuniões constitui a primeira do processo político de transição que se regista de dez em dez anos.


Após várias horas de espera, nos corredores e nas entradas do Grande Salão do Povo, os jornalistas foram levados para o auditório onde presenciaram a cerimónia de encerramento do Congresso Nacional do Povo.

Filas de autoridades sentados quase sem se mexer estavam no palco quando foi feita a leitura dos trabalhos realizados no congresso.

Os delegados votaram, por unanimidade, em apoio das emendas propostas à constituição do partido.

Uma das emendas modifica a constituição aumentando a fiscalização das autoridades, uma decisão que demonstra a preocupação profunda do partido sobre a corrupção.

A transição da liderança na China, é normalmente pacífica e profundamente coreografada. Desta vez, todo o processo e o próprio partido foram abalados pelo impacto de um escândalo envolvendo o desacreditado político Bo Xilai.

O partido apelou aos membros para manterem princípios éticos e para constituírem exemplo.

Os apelos para uma maior fiscalização encontraram eco nos delegados.

Jin Yaping refere que o governo necessita de aumentar a supervisão e que a tarefa deve começar pelas bases.

Os delegados aprovaram o apoio ao princípio do antigo dirigente chinês Deng Xiaoping de “reforma e abertura” como caminho para uma China mais forte.

O congresso considerou que não existe regresso no caminho para a reforma económica que orientou a China, nas últimas três décadas, para alcançar o desenvolvimento, e que levou o país a tornar-se na segunda maior economia mundial.

A teoria do presidente cessante Hu Jintao de promover a igualdade e o crescimento sustentável foi adicionada à constituição do partido, uma medida que pretende cimentar o seu legado.

Quando Jiang Zemin deixou a presidência em 2002, a teoria que abriu caminho à entrada no partido do empresariado, foi igualmente adicionada.

Deixar um legado pode ajudar os dirigentes partidários a assegurar a sua influência muito para lá após terem deixado os cargos.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: Pantera-Negra de: Luanda-Angola
16.11.2012 15:17
Vamos lá ver se com isso freiará um pouco a apetência dos (des)governantes CORRUPTOS angolanos em corromperem os chinocas e vice-versa.

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Afrcianas 15 de Abrili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
15.04.2014
Vídeo

Vídeo "Temos muitos problemas na Guiné-Bissau", Abel Incada, candidato presidencial

Os guineenses foram às urnas a 13 de Abril e estão expectantes num novo Governo de paz e estável
Vídeo

Vídeo África do Sul vai a votos a 7 de Maio

Na África do Sul, o ANC está em campanha difícil para segurar o seu domínio no Limpopo, onde ganhou 85 por cento dos votos em 2009.
Vídeo

Vídeo Pistorius está no banco dos réus e a acusação tem sido dura

Os acusadores tentaram descrever o atleta sul-africano Oscar Pistorius como egoísta e abusivo durante o segundo dia de interrogatório no seu julgamento por homicídio.
Vídeo

Vídeo A luta dos medicamentos baratos

O Governo da África do Sul vai aprovar reformas sobre propriedade intelectual – incluindo patentes de medicamentos – que para activistas de saúde poderão permitir que mais sul-africanos possam ter acesso a medicamentos genéricos,
Mais Vídeos