quarta-feira, 29 julho, 2015. 09:27 UTC

Notícias / África e Mundo

Bissau: A mutilação genital feminina nada tem a ver com os princípios do Islão

A lei proíbe a pratica de excisão em todo o território guineense

Lassana Casamá
Os líderes da religião muçulmana na Guiné-Bissau assinaram hoje um documento que determina o compromisso de uma declaração pública de que a mutilação genital feminina nada tem a ver com os princípios do islão, conforme se fazia crer no seio da comunidade islâmica do país.


O documento segue-se a aprovação, em 2011, por parte dos deputados, da lei que proíbe a pratica de excisão em todo o território nacional.  

Fatumata Djau Balde, Presidente do Comité Nacional de Luta contra Praticas Nefastas na Saúde da Mulher e Criança, falou a Voz de América sobre o espírito do documento.  

Estiveram presentes no acto da assinatura da declaração mais de duzentos líderes religiosos em representação de todas as comunidades muçulmanas das regiões e sectores da Guiné-Bissau. Entre este número, contabilizaram-se cento e setenta Imames.

Em face disso, a Presidente do Comité Nacional de Luta Contra Praticas Nefastas na Saúde da Mulher e Criança acredita o documento hoje assunado pelos líderes religiosos vai ter um impacto positivo na luta contra a mutilação genital feminina

Entretanto, não obstante a vigência de uma lei punitiva sobre a prática, recentemente registou um caso de obstrução a esta mesma legislação na cidade de Gabu, leste do país, onde quatro crianças foram submetidas a mutilação genital feminina.

O alegado autor da prática esteve detido por algumas horas, tendo mais tarde colocado sob termo de identidade e residência. Uma medida coação aplicada depois da forte pressão da comunidade local sobre o Governador da Região de Gabu, que, por sua vez, foi obrigado a intervir-se junto das autoridades policiais e do Ministério Público.


A Presidente do Comité Nacional de Luta Contra Práticas Nefastas na Saúde da Mulher e Criança, no dia em que os líderes muçulmanos assinaram um compromisso em como não se pode usar o nome do islão para quaisquer ato ligado a mutilação genital feminina na Guiné-Bissau.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Amy Winehouse - o filmei
X
29.07.2015 05:57
No documentário, Amy, o realizador Asif Kapadia conta a história do nascimento e queda da super estrela do jazz Amy Winehouse. Usando filmes caseiros feitos por amigos e produtores de Amy, concertos, entrevistas públicas e sessões de gravações, Kapadia criou um retrato fantástico da cantora
Vídeo

Vídeo Amy Winehouse - o filme

No documentário, Amy, o realizador Asif Kapadia conta a história do nascimento e queda da super estrela do jazz Amy Winehouse. Usando filmes caseiros feitos por amigos e produtores de Amy, concertos, entrevistas públicas e sessões de gravações, Kapadia criou um retrato fantástico da cantora
Vídeo

Vídeo Sudão: música salva pessoas da morte

Em 2012 o realizador sudanês Hajooj Kuka realizou um documentário entre os refugiados da Guerra civil no Nilo Azul, Sudão, e na região montanhosa de Nuba. E surpreendeu-se com o que ali viu – a música estava a ajudar a salvar pessoas que estavam a ser alvo de ataques aéreos do seu próprio governo
Vídeo

Vídeo Marvel Comics lança um novo Homem-Aranha: Miles Morales

Seja em quadradinhos ou na tela do cinema, fãs estão acostumados a ver Peter Parker por trás do Homem-Aranha. Mas isto está a mudar. A Marvel Comics lançou Miles Morales para substituir Peter Parker em uma nova série de quadradinhos. Ele é metade latino e metado afro-americano e já é bem popular.
Vídeo

Vídeo Procuradoras mulheres da Somália para fazer a diferença

Numa nação marcada por um longo conflito, corrupção e impunidade, o governo da Somália espera reconstruir o sistema de justiça do país e pela primeira vez trouxe seis procuradoras mulheres ao processo
Vídeo

Vídeo Jornalista cego da Somália

Apesar da melhoria de segurança, nos últimos anos, Somália continua um dos países mais perigosos para ser jornalista, pior para que não tem a capacidade de ver. Abdifatah Hassan Kalgacal têm reportado na última década a partir da capital daquele país. É cego
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Julho 2015

As imagens noticiosas de Africa
Mais Vídeos