quinta-feira, 02 outubro, 2014. 08:24 UTC

Notícias / África

"Falso problema" - resposta do governo da Guiné-Bissau as críticas do líder do parlamento

Fernando Vaz diz que Ibrahim Sory Djalo é parte do processo político em curso e que suas alegações apesar de políticas deviam ser responsabilizadas penalmente

Edifício da Assembleia Nacional da Guiné-Bissau, na cidade de Bissau
Edifício da Assembleia Nacional da Guiné-Bissau, na cidade de Bissau
Redacção VOA
O governo da Guiné-Bissau já reagiu as críticas do presidente do parlamento, Ibraima Sory Djaló, segundo as quais o executivo estaria a governar sem programa e sem orçamento.

O ministro da presidência e porta-voz do governo de transição, Fenando Vaz disse hoje a Voz da América que o presidente do parlamento levantou um falso problema e que devia ser responsabilizado penalmente, por levantar suspeitas sobre um processo político do qual é igualmente actor.

“O presidente da Assembleia colocou mal o problema. Nós pensamos o presidente da ANP é parte deste processo de transição e deverá com responsabilizar recalcular as suas afirmações.”


De recordar que o presidente do parlamento guineense, Sory Djaló, tinha advertido ser impossível governar o país sem programa de governo e sem orçamento, assim como tinha recusado qualquer responsabilidade por parte da Assembleia Nacional Popular por esta situação.

O ministro Fernando Vaz, responde afirmando que “os instrumentos legais do processo de transição ou seja o pacto de transição no seu artigo 3 no ponto 4 diz claramente que o programa do governo de transição é objecto do acordo político dos signatários do pacto de transição que neste caso incluiu o parlamento.”

O porta-voz do governo de transição Bissau-guineense reagiu igualmente a alusão feita pelo presidente do parlamento sobre a falta de liquidez financeira para o pagamento dos salários públicos, e argumentou que o FMI esteve recentemente em Bissau e fez a auditoria das constas públicas e não detectou uma tal situação.

Fernando Vaz considera que Ibraima Sory Djaló deve ser responsabilizado pelas suas alegações, enquanto presidente do parlamento orgão integrante do processo de transição, que com estas suas críticas parece agir no sentido de fazer regredir os esforços em curso para a normalização do país.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: Norberto Aurigemma de: Cabo Verde
01.03.2013 11:38
"É inacreditável e inconcebível um pais que se diz ter um governo de transição", não ter um orçamento minimamente digno para resolver os seus problemas. a intervenção do presidente da ANP foi bem claro ao expressar esta realidade. Ele não está reagindo no sentido de fazer regredir os esforços do país como o Sr. ministro da presidência e porta-voz do Governa de Transição pretende afirmar. Mas dizendo à verdade aos povos guineenses,... este país cinceramente não gosta de uma verdade e um crítica construtiva, os marginais gostam de obscurecer a mente do povo. PEÇO E APELO A COMUNIDADE INTERNACIONAL EM INTERVER VEEMENTE e se for necessário implantar internamente uma polica de austeridade.

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 1 Outubro 2014i
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
01.10.2014 18:00
O video do mundo em Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 1 Outubro 2014

O video do mundo em Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 30 Setembro 2014

O mundo das noticias africanas em video
Vídeo

Vídeo Hong Kong: palco de manifestações pela democracia

Manifestantes ocupam centro da cidade e recusam-se a dispersar e acusam a polícia de se ter transformado em diabo.
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 29 Setembro 2014

O mundo africano de noticias em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 265 Setembro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Libéria suspendeu ritual dos funerais devido ao Ébola

O Ébola matou mais de 1,500 pessoas só na Libéria. Especialistas em saúde pública dizem que as vítimas encontram-se na sua fase mais contagiosa, após a sua morte. As autoridades estão a tentar convencer as pessoas a contratar equipas especializadas para que sejam elas a recolher os corpos dos mortos
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 25 Setembro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 24 Setembro 2014

Noticias africanas em video
Vídeo

Vídeo José Carlos Schwarz - Si bu sta dianti na luta

Homenagem do músico guineense, José Carlos Schwarz, aos seus compatriotas que lutaram pela independência da Guiné-Bissau
Mais Vídeos