segunda-feira, 26 janeiro, 2015. 14:25 UTC

Notícias

Bispos africanos engajam-se no combate ao tráfico de pessoas

Prelados de todos os pontos de África congregam-se em Maputo para aprenderem mais sobre o fenómeno e como combatê-lo

Prostitutas nas ruas de Nairobi (imagens desfocadas deliberadamente para proteger identidade das jovens)
Prostitutas nas ruas de Nairobi (imagens desfocadas deliberadamente para proteger identidade das jovens)
Francisco Júnior

Bispos de Angola, Botswana, Lesotho, Namíbia, Swazilândia, Zimbabwe, e ainda do Gana, vão congregar-se Centro de Conferências das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras de Mumemo, em Marracuene, província de Maputo.

Participam numa acção de formação sobre direitos humanos, com enfoque para o problema do tráfico de seres humanos - um problema que os religiosos consideram muito grave, havendo diz Dom Ernesto Maguengue, Bispo de Pemba, a necessidade de o erradicar desta parte do continente africano

Esta acção de capacitação que terá como formadores especialistas e personalidades moçambicanas e sul-africanas, entre os quais o Procurador-Geral da República de Moçambique, Augusto Paulino, e Thoko Majokweni-Sipamia, Directora Especial do Ministério Público para Assuntos Comunitários e Crimes Sexuais da África do Sul.

Entre os formadores estão igualmente especialistas do Fundo das Nações Unidas para a Infância, UNICEF.

Esta acção de formação é organizada conjuntamente pela SANTAC e IMBISA. A SANTAC é a Rede de Organizações da África Austral que lutam contra o Tráfico e Abuso de Crianças e a IMBISA é a Associação Inter-Regional dos Bispos Católicos da África Austral.

No final da formação, e numa conferência de imprensa, os bispos católicos irão divulgar o seu posicionamento e compromisso de acção, face a este fenómeno que, segundo diz um comunicado de imprensa publicado pela SANTAC e pela IMBISA, “atenta contra a dignidade humana”.

Embora as estatísticas sejam difíceis de obter, estima-se que mais de mil crianças e mulheres jovens sejam transportadas anualmente de Moçambique para África do Sul em busca de uma vida melhor.

Essas pessoas acabam sendo envolvidas ou sendo vítimas de abuso sexual ou outras formas de exploração, como sucedeu com três raparigas traficadas por uma outra moçambicana que, no ano passado, foi condenada à prisão perpétua por um Tribunal Regional de Pretória.

A ré, que está a cumprir pena na África do Sul, chama-se Aldina dos Santos e este caso, considerado dos mais mediáticos de sempre, é conhecido por Caso Diana.

O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Prisioneiros do Quenia Batalha pela reintegraçãoi
|| 0:00:00
...  
🔇
X
23.01.2015 20:54
Depois de ter estado na prisao é difícil encontrar trabalho e ser aceite na cidade. Um grupo de ex-presos em Nairobi querem provar que ha vida depois do crime. (Janeiro 2015)
Vídeo

Vídeo Prisioneiros do Quenia Batalha pela reintegração

Depois de ter estado na prisao é difícil encontrar trabalho e ser aceite na cidade. Um grupo de ex-presos em Nairobi querem provar que ha vida depois do crime. (Janeiro 2015)
Vídeo

Vídeo Vacinas para o Ebola

A pior crise do Ebola na historia do mundo entrou no segundo ano. Os cientistas estao a desenvolver uma vacina contra este virus mortal. (Janeiro 2015)
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Janeiro 2015

As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 22 Janeiro 2015

As imagens das noticias africanas
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 21 Janeiro 2015

Imagens noticiosas afrcianas
Vídeo

Vídeo American Sniper: A história de um atirador americano que matou mais de 160 pessoas

Nomeado para o Oscar de Melhor Drama, o filme de Clint Eastwood baseia-se na história real de Chris Kyle, um oficial da Marinha americana que serviu no Iraque por quatro vezes como atirador profissional. O filme explora o efeito da guerra na psique humana
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 20 Janeiro 2015

As imagens noticiosas de Africa
Mais Vídeos