quinta-feira, 28 agosto, 2014. 05:05 UTC

Notícias / África

União Africana celebrava o 50º aniversário do pan-africanismo

Chefes de Estados e de Governos têm encontro marcado este fim-de-semana para debater meio século de políticas de afirmação e de desenvolvimento africano

AFRICA-AU/
AFRICA-AU/

Multimédia

Áudio
Os líderes da União Africana reunidos em Adis-Abeba debatem formas como resolver alguns problemas complexos que atrasam o desenvolvimento económico do continente.

O tema da cimeira deste ano é Pan-Africanismo e Renascencia Africana. Falando na abertura da cimeira, Segunda-feira, a presidente da Comissão Africana, Nkosazana Dlamini-Zuma disse que o continente está a crescer mas continua a enfrentar vários desafios.

“O nosso continente ainda tem que fazer face a grande falta de infra-estruturas, ausências no sistema de educação, especialmente na educação superior, saúde e outros serviços básicos incluindo respostas a rápida urbanização, progresso juvenil e as necessidades de segurança alimentar. Ao mesmo tempo, é uma questão de preocupação de que negociação em questões globais e mudanças climáticas, quase que fracassaram, e têm sérias consequências para África.”

A líder africana apelou assim a organização continental a concentrar-se mais na industrialização e na integração económica como forma de fazer face a esses desafios.
A organização pan-africana confronta-se igualmente com conflitos regionais, incluindo os do leste da República Democrática do Congo, da Guiné-Bissau e do Sudão.
Dlamini-Zuma disse que a cimeira deverá igualmente centrar-se em países onde foi conseguida a estabilidade através dos esforços da União Africana.

“Estamos a registar progressos regulares através da operacionalização da arquitectura da paz e segurança, africanas. Elas têm jogado um papel importante na gestão desses conflitos. E em resultado esses progressos têm sido registados na Somália, Sudão do Sul, Sudão e Madagáscar.”

A cimeira marca o quinquagésimo aniversário da organização pan-africana. Os ministros dos negócios estrangeiros devem reunir-se durante o fim-de-semana. Os chefes de Estados e de governos por sua vez deverão reunir-se no Domingo e na Segunda-feira no encontro da assembleia geral da União Africana.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Lei Russa Contra a Profanaçãoi
X
27.08.2014 18:06
A Rússia promulgou em Julho uma lei que ameaça multar actos de profanação nos media, filmes, literatura, na música e no teatro. A restrição foi bem recebida por quem diz que a blasfémia está fora do controlo, outros rejeitam a decisão por considerarem tratar-se de paternalização e censura
Vídeo

Vídeo Lei Russa Contra a Profanação

A Rússia promulgou em Julho uma lei que ameaça multar actos de profanação nos media, filmes, literatura, na música e no teatro. A restrição foi bem recebida por quem diz que a blasfémia está fora do controlo, outros rejeitam a decisão por considerarem tratar-se de paternalização e censura
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 27 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 26 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 26 Agosto 2014

Os principais títulos americanos na última semana de Agosto
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 25 Agosto 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo O impacto económico do Ébola

O recente surto de Ébola na Africa Ocidental poderá prejudicar as economias governamentais na Libéria, Guine, e Serra Leoa, e talvez mesmo Nigéria. Os esforços de prevenção interferem com o comércio, desportos e viagens
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 22 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Ferguson clama por justiça

Violência, frustração e raiva têm sido a combinação explosiva no bairro de St. Louis, em Ferguson, Missouri. Os protestos começaram depois de um jovem negro de 18 anos ter sido morto por um polícia branco
Mais Vídeos