sexta-feira, 01 agosto, 2014. 07:47 UTC

Notícias / Angola Fala Só

ANGOLA FALA SÓ - Elias Isaac: "Governo não pode tratar pessoas como animais"

Angola Fala Só
Angola Fala Só
 A demolição de habitações no Cacuaco  é “uma tristeza” e “dor” que nunca foi vista no tempo colonial, disse o Dr Elias Isaac, director da Open Society – Angola.

Isaac falava no programa “Angola Fala Só” em que abordou diversas questões políticas e sociais com vários ouvintes.

A Open Society é uma organização de promoção de direitos humanos e políticos que opera em Angola há vários anos.

O director da organização disse ter visitado o Cacuaco onde recentemente numa aparatosa operação policial foram destruídas as habitações de centenas de famílias que ficaram depois ao relento.

“Nunca tinha testemunhado esta crueldade e esta maldade das pessoas,” disse Isaac.

“Vi crianças ao relento e à chuva, vi tanta dor,” disse

“O que aconteceu nunca aconteceu no tempo colonial, no tempo de Mobutu, no tempo de Amin,” acrescentou em referência a antigos ditadores do Congo e do Uganda.

“Não consigo acreditar que ainda existam dirigentes que conseguem  tratar  os cidadãos desta maneira,”  disse ainda Isaac que afirmou acreditar que o Presidente José Eduardo dos Santos não está a receber “informações correctas”  sobre o que se passou.

“Eu acredito que o presidente tem coração, “ afirmou.

Elias Isaac disse que com demolições deste género o governo está a empobrecer os angolanos.

“Destroi-se as casas dos pobres para se construir para os ricos,” acrescentou.
Primeiro, disse, há que construir alternativas para os pobres e só depois então destruir.

O director da Open Society disse ainda que Angola  “está muito longe “ de ser uma democracia.

Em resposta ao ouvinte Zeca Lelu de Benguela, que se insurgiu contra a prepotência da polícia e a inoperância do sistema judicial, o activista afirmou que Angola estará “numa verdadeira democracia no dia em que o sistema judicial for independente, fora das influências do Presidente da República e do partido no poder.”

Para além disso, acrescentou, não houve modificação no modo de actuar do partido no poder  que  continua a  “excluir o diferente”.

Vários ouvintes colocaram a questão do  orçamento geral do estado e o director da Open Society disse que o maior problemas é que o mesmo não é produto de consenso não reflectindo os interesses de todos os angolanos.

Falando ainda sobre a economia angolana,  Elias Isaac disse que embora não sendo economista é de opinião que não se pode medir desenvolvimento com base “ no betão armado” que se constrói.

O nível de vida do cidadão acrescentou deve ser a medida.

Angola, disse ele, só produz petróleo. Uma enorme percentagem do que consome, incluindo alimentos, são importações.

A sua organização está actualmente envolvida num projecto que visa dar mais transparência
 



Clique no link abaixo para ouvir todos os programas.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: joao antonio de: lobito ' angola
18.02.2013 09:01
se as pessoas sao tratadas como animais selvagens e porque a cabeca das pessoas que governam o pais nao regula bem porque aqueles pobres comunistas assim que puseram as maos nos dollars e nos kuanzas ficarm malucos e atrapalhados pois pelo comportamento deles pensam que sao dueses e que estao a cima de tudo e todos mais para mim estao a fazer figura de parvos ,ignorantes e obstinados porque conceito de poder na forma como apareceram e estar a gerir mal e porcamente a coisa publica o lugar deles seria no desterro ou na reclusao penintenciaria

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Ivan Collinson - Participante Yalii
X
31.07.2014 20:06
Ivan Collinson - Participante Yali. Veio de Moçambique e é director adjunto do registo académico da Universidade Eduardo Mondlane. Ivan sente-se mais africano depois de participar na Iniciativa Jovens Líderes Africanos nos EUA
Vídeo

Vídeo Ivan Collinson - Participante Yali

Ivan Collinson - Participante Yali. Veio de Moçambique e é director adjunto do registo académico da Universidade Eduardo Mondlane. Ivan sente-se mais africano depois de participar na Iniciativa Jovens Líderes Africanos nos EUA
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 31 Julho 2014

Câmara dos Representantes indicia processo contra Presidente Barack Obama
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 31Julho 2014

Da propagação do vírus do ébola, aos ataques do Boko Haram. Os títulos que marcam a actualidade de África
Vídeo

Vídeo Cadija Mané - Participante Yali

Cadija Mané - Participante Yali. Veio da Guiné-Bissau, onde trabalha como coordenadora da Casa dos Direitos. Regressa para a Guiné com mais determinação e força de vontade para mudar as coisas
Vídeo

Vídeo Vilma Nhambi - Participante Yali

Vilma Nhambi - Participante Yali. Veio de Moçambique e tem um projecto com mulheres e adolescentes nas zonas rurais.
Vídeo

Vídeo Selma Neves - Participante Yali

Selma Neves - Participante Yali, veio de Cabo Verde. É Presidente da Incubadora, uma cooperativa de empoderamento de mulheres e fica por mais dois meses para um estágio em Nova Iorque
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 29 Julho 2014

Os principais assuntos que fazem a actualidade dos Estados Unidos da América, com Bruna Ladeira
Vídeo

Vídeo Majo Joseph - Participante Yali

Majo Joseph - Participante Yali veio de Moçambique e a sua área de acção é a sociedade civil e seu empoderamento
Vídeo

Vídeo Akiules Neto - Participante Yali

Akiules Neto - Participante Yali. Veio de Angola e a sua vida são os números
Mais Vídeos