sexta-feira, 01 agosto, 2014. 15:54 UTC

Notícias / Angola

Sobas das Lundas pedem justiça

Violações dos direitos humanos continuam nas zonas de diamantes pelo que deve ser aberto um inquérito, dizem os chefes

Delegação de autoridades tradicionais da Lunda-Norte e Lunda-Sul (da esquerda para a direita): Regedor Mwambumba, Regedor Zovo, Mwanitete e MwaCapenda Camulemba (Foto: Maka Angola)
Delegação de autoridades tradicionais da Lunda-Norte e Lunda-Sul (da esquerda para a direita): Regedor Mwambumba, Regedor Zovo, Mwanitete e MwaCapenda Camulemba (Foto: Maka Angola)
Dirigentes tradicionais da Lunda- Norte e Lunda Sul queixaram-se em Luanda da persistente violação dos direitos humanos e pediram a reabertura de um inquérito à situação nessas províncias.




Os dirigentes entregaram uma petição nesse sentido ao Procurador- Geral da República João Maria Moreira de Sousa.

Muana MwaCapenda Camulemba disse terem ido a Procuradoria Geral da República na manha desta quarta-feira desmentir uma das testemunhas, dita  “chave”, que levou ao arquivamento de um processo contra generais do regime angolano envolvidos na exploração de diamantes.

O processo havia sido iniciado pelo activista dos direitos humanos Rafael Marques.
Capenda Camulemba disse  que continuam hoje a registarem -se mortes alegadamente levadas a cabo  por elementos das empresas mencionadas na obra “Diamantes de Sangue, Corrupção e Tortura em Angola” de autoria de Rafael Marques.

“Nós viemos à justiça trazer a nossa carta de protesto sobre a nossa terra lundas onde há muitas mortes a muitas torturas,” disse aquele dirigente tradicional.

“O nosso governo não toma medidas adequada” acrescentou
Os dirigentes disseram esperar pela criação de uma comissão de inquérito e que seja feita justiça

“Esperamos que no meio de tudo isso sejamos recebidos pelo governo para explicarmos o que se passa” frisou.

Apetição apela à reabertura de um inquérito preliminar, arquivado pela Procuradoria em Junho passado, sobre as violações de direitos humanos denunciadas no livro “Diamantes de Sangue, Corrupção e Tortura em Angola”.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: Eduardo Vissimilo de: Angola-Benguela
14.01.2013 18:25
São sobas que reflectem, que conhecem os seus direitos e falam quando eles são violados por bajuladores de tudo que é do público para o particular. Os sobas de Angola deviam estudar, deviam ir à escola, não devem ter vergonha de estudar com filhos e netos. Em Angola ainda tem sobas que nem ler e escvrever, assim não sabem se o que têm não deve ser violado, até que é mais fácil governar um tipo de pessoas assim, não sabem negar, respondem tudo com sim. Os sobas de Angola deviam defender os interesses do povo e não de dirigentes!


por: Prof.Kiluange de: New York
10.01.2013 09:23
Indagemo-nos, antes do mais, os destinos do nosso próprio produto interno bruto (PIB), avaliados em mais de $115.9 bilhões (2011 est.), matérias-primas e derivados , terras aráveis, etc., logo teremos uma resposta simples e sincera – isso se pensarmos de forma "homosapiens" e quisermos uma distinção completa aos demais "animais irracionais" com os quais partihamos esse "bendito planeta." Os problemas de Cabinda, Lundas, " abusos sistemáticos" de direitos humanos,assassinatos premeditados,prostituição de todos nossos valores morais,corrupção,despotismo, nepotismo,etc., nunca terão solução se nao tivermos a coragem de conhecer o verdadeiro paradeiro do destino do nosso próprio PIB,etc.,... e a questão fulcral é: somos capazes de contornar essa maldição sem a ajuda de algum recurso ao extremo????


por: Pro.Kiluange de: New York City
09.01.2013 23:17
Indagemo-nos, antes do mais, os destinos do nosso próprio produto interno bruto (PIB), avaliados em mais de $115.9 bilhões (2011 est.), matérias-primas e derivados , terras aráveis, etc., logo teremos uma resposta simples e sincera – isso se pensarmos de forma "homosapiens" e quisermos uma distinção completa aos demais "animais irracionais" com os quais partihamos esse "bendito planeta." Os problemas de Cabinda, Lundas, " abusos sistemáticos" de direitos humanos,assassinatos premeditados,prostituição de todos nossos valores morais,corrupção,despotismo, nepotismo,etc., nunca terão solução se nao tivermos a coragem de conhecer o verdadeiro paradeiro do destino do nosso próprio PIB,etc.,... e a questão fulcral é: somos capazes de contornar essa maldição sem a ajuda de algum recurso ao extremo????

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Ivan Collinson - Participante Yalii
X
31.07.2014 20:06
Ivan Collinson - Participante Yali. Veio de Moçambique e é director adjunto do registo académico da Universidade Eduardo Mondlane. Ivan sente-se mais africano depois de participar na Iniciativa Jovens Líderes Africanos nos EUA
Vídeo

Vídeo Ivan Collinson - Participante Yali

Ivan Collinson - Participante Yali. Veio de Moçambique e é director adjunto do registo académico da Universidade Eduardo Mondlane. Ivan sente-se mais africano depois de participar na Iniciativa Jovens Líderes Africanos nos EUA
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 31 Julho 2014

Câmara dos Representantes indicia processo contra Presidente Barack Obama
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 31Julho 2014

Da propagação do vírus do ébola, aos ataques do Boko Haram. Os títulos que marcam a actualidade de África
Vídeo

Vídeo Cadija Mané - Participante Yali

Cadija Mané - Participante Yali. Veio da Guiné-Bissau, onde trabalha como coordenadora da Casa dos Direitos. Regressa para a Guiné com mais determinação e força de vontade para mudar as coisas
Vídeo

Vídeo Vilma Nhambi - Participante Yali

Vilma Nhambi - Participante Yali. Veio de Moçambique e tem um projecto com mulheres e adolescentes nas zonas rurais.
Vídeo

Vídeo Selma Neves - Participante Yali

Selma Neves - Participante Yali, veio de Cabo Verde. É Presidente da Incubadora, uma cooperativa de empoderamento de mulheres e fica por mais dois meses para um estágio em Nova Iorque
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 29 Julho 2014

Os principais assuntos que fazem a actualidade dos Estados Unidos da América, com Bruna Ladeira
Vídeo

Vídeo Majo Joseph - Participante Yali

Majo Joseph - Participante Yali veio de Moçambique e a sua área de acção é a sociedade civil e seu empoderamento
Vídeo

Vídeo Akiules Neto - Participante Yali

Akiules Neto - Participante Yali. Veio de Angola e a sua vida são os números
Mais Vídeos