terça-feira, 03 março, 2015. 08:52 UTC

Notícias / Mundo

Saúde de Hugo Chavez lança Venezuela no caos político

Re-eleito para um segundo mandato, Chavez está hospitalizado em Cuba e não pode tomar posse nesta quinta-feira. O governo admite adiar a cerimónia.

Presidente venezuelano, Hugo Chavez (esq.) com o presidente cubano, em Havana, no dia 10 de Dezembro - a última vez que o Chefe de Estado da Venezuela foi visto em público
Presidente venezuelano, Hugo Chavez (esq.) com o presidente cubano, em Havana, no dia 10 de Dezembro - a última vez que o Chefe de Estado da Venezuela foi visto em público

Multimédia

Áudio
Redacção VOA
A Venezuela vive uma crise política provocada pelo estado de saúde do presidente Hugo Chavez. Re-eleito para um segundo mandato, Chavez está hospitalizado em Cuba e não pode tomar posse nesta quinta-feira. O governo admite adiar a cerimónia.

A posse de Chavez está prevista para quinta-feira. Mas o presidente venezuelano, re-eleito em Outubro passado, não pode comparecer à cerimónia de investidura.
Chavez regressou a Cuba para uma operação a um cancro, encontra-se hospitalizado em estado grave e não é visto em público há um mês.

Se não comparecer à investidura, quer dizer que não há presidente e, segundo a constituição, deverão realizar-se novas eleições presidenciais, dentro de 30 dias.
Todavia, o vice-presidente, Nicolas Maduro, e o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, asseguram que não haverá novas eleições.

Maduro diz que será ele, como vice-presidente, empossado como Chefe de Estado. Cabello, segundo diz a oposição, não concorda. A Constituição diz que deve ser ele, como presidente da Assembleia Nacional, a liderar o governo até à realização de novas eleições.

Maduro admitiu, no fim-de-semana, que se Chavez não puder ser investido na quinta-feira, perante a Assembleia Nacional, poderá ser empossado, mais tarde, pelo Supremo Tribunal. A Constituição não menciona uma data para esta alternativa.

A oposição diz que a única solução legal é a posse a 10 de Janeiro, ou a realização de novas eleições, ao que os partidários de Chavez respondem que a oposição está a tentar desestabilizar o país.

Analistas notam que, apesar de ter a máquina do estado a apoiá-lo, Hugo Chavez venceu as eleições de Outubro com 55% dos votos e talvez não conseguisse repetir a vitória sem ele, no caso de novas eleições dentro de um mês.

Maduro foi designado por Chavez como candidato presidencial do seu partido, no caso de se realizarem eleições.

O governo não deu pormenores sobre o estado de saúde do presidente. Sabe-se que ele tem um cancro na região pélvica, mas não se sabe exactamente que tipo de cancro; sabe-se que após a cirurgia desenvolveu uma infecção respiratória grave, mas não há informação oficial sobre se a infecção pode ser mortal.

A oposição afirma que a saúde do presidente provoca instabilidade, ao que o executivo responde que a única fonte de instabilidade são as mentiras da oposição.

O vice-presidente eleito diz que os venezuelanos devem responder às mentiras, quer elas sejam divulgadas nas redes sociais, quer sejam divulgadas na rua.

O impasse, para já, permanece. Tanto entre governo e oposição, como entre Maduro e Cabello. A única coisa certa é que os partidários de Hugo Chavez, ainda que divididos, controlam todos os órgãos de soberania e as forças armadas.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Marcha em Moscovo homenageia líder da oposição assassinadoi
X
02.03.2015 19:26
Milhares marcharam em homenagem a Boris Nemtsov, líder da oposição russa, assassinado em Moscovo quando passeava com a namorada pela ponte com vista para o Kremlin, na capital da Rússia. Boris Nemtsov assassinado com quatro tiros
Vídeo

Vídeo Marcha em Moscovo homenageia líder da oposição assassinado

Milhares marcharam em homenagem a Boris Nemtsov, líder da oposição russa, assassinado em Moscovo quando passeava com a namorada pela ponte com vista para o Kremlin, na capital da Rússia. Boris Nemtsov assassinado com quatro tiros
Vídeo

Vídeo Putin ex-espião, novo herói da Rússia

Analistas dizem que Putin, um antigo espião, está determinado em restaurar a imagem da Rússia em colocar o país no lugar que lhe compete no mundo – qualquer que seja o meio para alcançar esse objectivo.
Vídeo

Vídeo Birdman - A Inesperada Virtude da Ignorância ()

A sátira de Alejandro Gonzalez Inarritu obteve dois dos principais óscares na noite de Domingo Se nunca viu o filme, mostramos-lhe o filme para que entenda a decisão da Academia de Hollywood.
Mais Vídeos