sexta-feira, 24 outubro, 2014. 12:00 UTC

Notícias / Angola

Governador da Huíla promete diálogo e abertura a todos

João Tchipingui diz que vai dar prioridade aosprojectos do sector social

Senhora do Monte, Lubango (Angola)
Senhora do Monte, Lubango (Angola)
Teodoro Albano
O governador da Huíla apelou á colaboração de todos garantindo a abertura do seu governo ao diálogo.


A UNITA disse contudo que tem que haver maior consistência nos projectos do governo.

A secretária provincial da UNITA, Amélia Judite, reagia ás declarações do governador João marcelino Tchipingui que disse que a sua prioridade para 2013 vai ser o sector social com realce para a saúde, educação, água e luz.

O chefe do executivo da Huíla que sugeriu a aposta na continuidade em projectos do governo que substituiu, enumerou ainda a habitação, emprego e a assistência social como outros sectores que vão merecer atenção no ano que agora começa.

Paral tal João Marcelino Tchipingui pediu a colaboração de todos e manifestou a abertura do seu governo para o diálogo em nome da unidade de pensamento e acção.

“ Nós na província da Huíla vamos priorizar o diálogo com todos no conselho de auscultação e concertação social para garantirmos o equilíbrio e a unidade de pensamento e acção, todos devem ser integrados no processo de colocar a província da Huíla nos carris do crescimento e do desenvolvimento,” disse.

A qualidade da governação sugeriu Tchipingui, passará pela transparência e o sentido de missão dos servidores públicos que deverão estar altura dos grandes desafios de maneiras a corresponder com as espectativas da população, afirmou.

Numa primeira reacção a UNITA o maior partido na oposição na Huíla, defendeu mais consistência nos projectos do governo.

Amélia Judite, secretária provincial da UNITAAmélia Judite, secretária provincial da UNITA
x
Amélia Judite, secretária provincial da UNITA
Amélia Judite, secretária provincial da UNITA
A secretária do Galo Negro, Amélia Judite, aponta fraquezas nos projectos de água e luz cujos serviços postos a disposição da população segundo ela se revelam intermitentes e sem qualidade e sugere a passagem dos discursos a projectos concretos que se reflictam na vida dos cidadãos.

“ Com o dinheiro de todos nós é necessário que o governo passe de discursos para a prática para implementar coisas que se reflictam na vida do cidadão,” disse
.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 23 Outubro 2014i
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
23.10.2014 18:54
As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Mãe Trabalhadora - trailler do filme

O filme explora a dupla responsabilidade das mulheres moçambicanas, como mães e trabalhadoras. Gentilmente cedido pelo Organização Internacional do Trabalho
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 22 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Ébola e os órfãos da Serra Leoa

Centenas de crianças ficaram órfãos na Serra Leoa devido ao surto do vírus do Ébola, são vítimas do estigma e da rejeição. Os familiares não querem saber deles. A Serra Leoa abriu o primeiro orfanato de vítimas do Ébola no distrito de Kailahun.
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 21 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Ébola: Um Poema para os Vivos

O filme da Chocolate Moose é uma animação desmistificando o Ébola, explicando a doença através do caso de um menino infectado. A VOA fez a dobragem do vídeo original na voz de Mayra de Lassalette. Saiba mais no link http://tinyurl.com/l7vgtjv
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 17 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Nascimentos na Libéria em tempos de Ébola

O hospital JFK na Libéria tinha encerrado a maternidade, devido ao Ébola, mas urge agora reabrir o serviço que já fez 93 partos desde que voltou a abrir
Mais Vídeos