domingo, 21 dezembro, 2014. 01:06 UTC

Notícias / Mundo

Al-Qaeda criou o seu "país" no norte do Mali

Os extremistas criaram bases no deserto, austero e rochoso onde "cavaram túneis, fizeram estradas, trouxeram geradores e painéis solares e vivem no interior das rochas." Usaram explosivos apreendidos e tractores para fazerem passagens nas montanhas.

Milícias extremistas da al-Qaeda, no norte do Mali
Milícias extremistas da al-Qaeda, no norte do Mali

Multimédia

Áudio
Redacção VOA
A organização terrorista al-Qaeda transformou o norte do Mali numa espécie de estado sob o seu controle segundo constataram jornalistas da Associated Press na região. Esta área, de 620 mil quilómetros quadrados, é quase igual à do Afeganistão e transformou-se numa base para o terrorismo internacional.

Nas profundezas das cavernas, em bases remotas no deserto e nas falésias do norte do Mali, combatentes islâmicos estão a criar uma rede de defesas para proteger o que, essencialmente, se tornou o novo país da Al-Qaeda.

Usaram tractores e numerosas máquinas Caterpillar deixadas pelas empresas de construção civil que fugiram da zona, para escavarem o que os moradores e autoridades locais descrevem como uma sofisticada rede de túneis, trincheiras, e muralhas.

Num dos casos, uma caverna tão grande que podem lá circular camiões, estão armazenados mais de 100 barris de gasolina, garantindo abastecimento das forças da a-Qaeda em caso de ataque.

O norte do Mali é hoje o maior território controlado pela Al-Qaeda e seus aliados. Enquanto a comunidade internacional hesita sobre uma anunciada intervenção militar, os extremistas que tomaram o controle da área no início deste preparam-se para uma guerra que, garantem, será pior do que a do Afeganistão.

"Al-Qaeda nunca controlou o Afeganistão mas agora é dona do norte do Mali", disse o ex-diplomata canadiano das Nações Unidas, Robert Fowler, que foi prisioneiro da al-Qaeda no Magreb Islâmico. Nos últimos meses, a al-Qaeda e os seus aliados aproveitaram a instabilidade política no país para saírem dos seus esconderijos e entrarem nas cidades, controlando um enorme território que está a ser usado para armazenar armas, treinar guerrilheiros e preparar uma jihad global.

A área sob o seu domínio é na maior parte do deserto e pouco povoada, mas analistas dizem que, devido ao seu tamanho e à natureza hostil do terreno, expulsar os extremistas aqui poderia ser ainda mais difícil do que no Afeganistão.

A Al-Qaeda no Magreb Islâmico, não opera apenas no Mali, mas num vasto corredor ao longo de grande parte do norte do Sahel norte, numa faixa de 7.000 km que atravessa a maior parte da África, e inclui partes da Mauritânia, Níger, Argélia, Líbia, Burkina Faso e Chade. Analistas dizem, que não há uma estratégia de contenção da al-Qaeda, nesta zona.

No início deste ano, 15 países da África Ocidental, incluindo Mali, concordaram com uma intervenção militar. O Conselho de Segurança da ONU autorizou-a, mas impôs condições que a poderão adiar o seu início por 10 meses.

Enquanto isso, os extremistas preparam-se e criaram, de acordo com testemunhos na região, duas bases, cerca de 200 a 300 quilómetros a norte de Kidal, no deserto, austero e rochoso. Uma é de extremistas locais, onde "os islamitas cavaram túneis, fizeram estradas, trouxeram geradores e painéis solares para terem electricidade e vivem no interior das rochas." Mais ao norte, perto de Boghassa, há uma segunda base, criada por lutadores do Ansar al-Dine, que usaram explosivos apreendidos, tractores e marretas para fazerem passagens nas montanhas.

O presidente da câmara de Timbuktu, Ousmane Halle, alerta que, quando ouviram falar em intervenção militar estrangeira, os extremistas saíram de Timbuktu. Mas a sua presença foi reforçada quando perceberam que a intervenção seria adiada.

Residentes de Gao, dizem que vêem com frequência Moktar Belmoktar, o emir de um só olho, líder da célula local da Al-Qaeda. Autoruidades locais dizem que eles estão armados com mísseis terra-ar SA-7 e SA-2. Esta revelação não pôde ser confirmada, mas Rudolph Atallah, ex-diretor de contra-terrorismo para África no Gabinete do Secretário de Defesa, disse que faz sentido.

Segundo ele, "Kadafi comprou tudo e mais alguma coisa" e após sua caótica queda e morte é possível que terroristas tenham, obtido parte do arsenal líbio e tentem usá-lo contra forças estrangeiras quando estas finalmente chegarem.
Para já, enquanto o mundo hesita, a al-Qaeda prepara-se.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 19 Dezembro 2014i
|| 0:00:00
...  
🔇
X
19.12.2014 20:45
As imagens noticiosas de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 19 Dezembro 2014

As imagens noticiosas de Africa
Vídeo

Vídeo Gozar com Kim Jong Un é assunto sério

O filme " A Entrevista" com James Franco e Seth Rogen foi realizado, mas a Sony Pictures Entertainment cancelou a sua estreia. O que prometia ser um sucesso de bilheteiras para Hollywood tornou-se num pesadelo entre ameaças da Coreia do Norte aos Estados a ataques de pirataria à Sony Pictures.
Vídeo

Vídeo Presidente Obama fala aos cubanos

"Ao povo cubano, os EUA estendem a sua mão de amizade"
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 18 Dezembro 2014

As imagens noticiosas de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 17 Dezembro 2014

As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 12 Dezembro 2014

As imagens das noticias africanas
Mais Vídeos