sexta-feira, 31 outubro, 2014. 22:06 UTC

Notícias / Angola Fala Só

ANGOLA FALA SÓ - Nzita Tiago: "Peço a Eduardo dos Santos para abrir negociações" sobre Cabinda

O líder histórico da FLEC, Nzita Henriques Tiago, pediu ao presidente angolano, José Eduardo dos Santos, "para abrir negociações" sobre o estatuto de Cabinda.

Tiago respondia aos ouvintes da Voz da América, no programa Angola Fala Só. O governo angolano, oficialmente, considera encerrado o problema de Cabinda, com o Memorando de Entendimento de 2006, assinado com o então líder do Forum Cabindês para o Diálogo, António Bento bembe.

Mas o Memorando não foi universalmente aceite pela resistência cabindesa e Tiago, e outros, insistem na necessidade de dialogo.

Sobre o que fará se Eduardo dos Santos se recusar, como tem feito, a dialogar, Nzita Tiago afirmou: "Não sei se haverá consequências  da falta de diálogo. O povo de Cabinda é que sabe".-

"Não tem que ser o Nzita. Pode ser que alguém venha dizer basta", declarou o presidente da FLEC que, durante o programa, se recusou insistentemente a comentar questões angolanas, afirmando que "eu me preocupo com os problemas dos Cabindas e os problemas dos angolanos são para eles resolverem".

Insistiu, repetidamente, que Angola está a colonizar Cabinda e voltou a exortar os cabindeses a um diálogo de onde resultem posições unificadas.

Clique no link abaixo para ouvir o Angola Fala Só, com Nzita Tiago.


Clique aqui para ouvir todos os programas Angola Fala Só.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: Bavondakuau de: Cabinda
26.12.2012 09:54
os Angolanos ate agora ocupam o territorio Cabindesa o Porque o estado portuguesa não toma a sua responsabilidade de esclarecer ao estados unidos que cabinda foi protetorado não colonizado de mim sou de opinião de lhes quechar no tribunal supremo dos estados unidos para eles ovirem o abuso e aviolação dos direitos humanos em cabinda


por: Bento&Bento de: Luanda
10.12.2012 09:16
apesar de não ser do Mpla, nunca concordaremos a divisão de Angola até os ultimos teus dias.com as autarquicas vc devia vir em Angola para concorrer e verás que nem representas 10% das convicçoes dos Cabindenses. O que deves fazer é lutar para que os 10% da arrecadação do petroleo da provincia seja canalizado aos serviços essenciais da população. VIVA ANGOLA DE CABINDA AO CUNENE!

Resposta

por: Che. de: Reino Unido
12.12.2012 17:53
O problema de Jose Eduardo Dos Santos, eh a arrogancia,
Falta de honestidade politica, e a uma consiciencia Africana. Se nao mudou aos 70 anos, nao ha muita esperanca de mudanca.
Um pedido ao Eduardo Dos Santos, nao resolvera o problema de Cabinda, nem a situacao em Angola. Uma mudanca total da lideranca angolana,
e o rejunevecimento da lideranca da Flec, reconhecendo no entanto a importancia historica das duas liderancas, podera resolver a questao de Cabinda, e restaurar a angolanidade, que eh uma questao pendente, sem o qual Angola, com ou sem o Fundo Soberano, nao podera avancar. Eh um trabalho que deve se levar a serio.
A importancia da historia, em particular o impacto de Jonas Savimbi, deve se ter em consideracao. O discurso da Flec, dever ir alem da reclamacao justa contra a opressao e a pilhagem dos recursos petroliferos para um projecto politico comprehensivo e robusto, isto eh, realista, pragmatico e incotornavel.

Resposta

por: Pastor Raul de: Repúblca de Cabinda
11.12.2012 02:11
Cabinda não é Angola porque 95% dos Cabindas não se sentem angolanos são obrigados por lei do Mpla e ponto final.


por: pires feliciano de: paris
09.12.2012 14:02
O Sr Jes deve Responder ao seu rival independentista o Tiago Nzita para tentar algo que possa trazer aos cabindense a paz que eles também merecem.e este paz deve ser abragente e nao por categoria de individus como o fez com Bento Bembe e outros analfabetos "Mbindas" dai o governo de angola deve aproveitar a oportunidade para nao ignorar a propria historia.

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Levando a vida no cemitério: Reportagem sobre pobreza persistente em Moçambiquei
X
31.10.2014 18:08
Com as suas ricas reservas de gás natural por explorar, Moçambique poderá tornar-se num dos maiores abastecedores de energia – facto central nas recentes eleições nacionais. Mas nem todos usufruem das riquezas acumuladas. Há uma pobreza persistente, veja como alguns residentes de Maputo sobrevivem
Vídeo

Vídeo Levando a vida no cemitério: Reportagem sobre pobreza persistente em Moçambique

Com as suas ricas reservas de gás natural por explorar, Moçambique poderá tornar-se num dos maiores abastecedores de energia – facto central nas recentes eleições nacionais. Mas nem todos usufruem das riquezas acumuladas. Há uma pobreza persistente, veja como alguns residentes de Maputo sobrevivem
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 31 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 30 Outubro 2014

As principais notícias que marcam a última semana do mês de Outubro, nos Estados Unidos
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 30 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 29 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 28 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 24 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Levados pelo Boko Haram

O mundo espera para ver se a Nigéria consegue negociar a libertação das 219 raparigas da escola de Chibok, raptadas pelo grupo islâmico Boko Haram em Abril. Activistas dizem que o Boko Haram já raptou centenas de jovens rapazes, mulheres e crianças, desde 2009.
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Mãe Trabalhadora - trailler do filme

O filme explora a dupla responsabilidade das mulheres moçambicanas, como mães e trabalhadoras. Gentilmente cedido pelo Organização Internacional do Trabalho
Mais Vídeos