quinta-feira, 24 abril, 2014. 00:47 UTC

Notícias

Wiliam Tonet condenado a pagar 100 mil dólares

Director do Folha 8 foi processado por difamação de figurtas do regime

William Tonet no tribunal em Luanda
William Tonet no tribunal em Luanda
Tamanho das letras - +
Alexandre Neto



O jornalista William Tonet, director do semanário angolano Folha 8, foi condenado a um ano de prisão, com pena suspensa, e ao pagamento de uma indemnização de 100 mil dólares, por difamação de figuras do regime.

A suspensão da pena pode ser levantada se a publicação voltar a cometer o crime de que foi acusado. Mas para Tonet, há uma preocupação mais imediata: se a multa não for paga até ao final da semana, o jornalista poderá ir mesmo para a prisão.

A queixa contra Tonet e o Folha 8 foi apresentada em 2007, por Manuel Vieira Dias “Kopelipa” ministro de Estado e chefe da Casa Militar da presidência da República,  José Maria, chefe dos Serviços de Inteligência Militar, Helder Pitagrós, Procurador Militar e Sílvio Burity, Director Nacional das Alfândegas.

O Tribunal Supremo já tinha mandado arquivar um outro processo de 2008 devido as insuficiências verificadas no mesmo, reclamadas pela defesa.

Aparentemente, a condenação a um ano com pena suspensa seria considerada branda, não fosse a multa fixada pelo tribunal no valor de 10 milhões de kwanzas, o equivalente a 100 mil dólares americanos à taxa de câmbio actual.

O mesmo juíz que não deixou que os jornalistas procedessem a cobertura do julgamento nos termos convencionais, tinha fixado inclusive o prazo de 5 dias para que fosse executado o pagamento ou caso contrário, sujeitar-se ao cumprimento da pena na cadeia. Ora, nas  condições presentes de dificuldades financeiras, só dificilmente o semanário conseguiria concretiza-lo!

William Tonet deixou a entender que vinha preparado para cumprir a pena - o jornalista e  também advogado, chegou ao tribunal trajado de t-shirt com foto e dizeres reproduzidos de Nito Alves, onde se lia: "Mata-se o homen maa não as suas ideias".

Foram várias as irregularidades registadas no decurso da instrução processual o que deu razão que a defesa interposesse recurso junto do Tribunal Supremo.

Apesar de integrar a defesa dos réus (e por precaução contra eventuais sanções disciplinares com que Ordem dos Advogados passou a ameaçar os seus membros) Tiago Ribeiro falou na condição de jurista.

O processo foi instruído fora dos prazos,” disse.

Dos quatro processos, o tribunal mandou arquivar apenas um. Indignado pareceu David Mendes. “A continuar assim” disse “tenho de repensar se vale a pena continuar na advocacia”.

O recurso interposto suspende os efeitos fixados na sentença e tudo fica agora  condicionado à decisão do tribunal Supremo.

Lembro que William Afonso Tonet foi acusado de crime de difamação segundo a sentença lida. O tribunal ilibou-o dos crimes de calúnia e injúria.

Quanto aos danos civis, os processos não precederam. Segundo o juíz, porque não respeitaram requisitos fundamentais.

O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Morte de dançarino da Globo culmina em protestos violentos no Brasili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
23.04.2014 18:02
Mais Vídeos