sábado, 25 abril, 2015. 15:59 UTC

Notícias

Angola: Sindicalista acusa petrolífera de discriminação

Chevron também acusada de dificultar actividade sindical

*
*
José Manuel

Sindicalista acusa Chevron

O Secretário-geral do Sindicato Independente da Cabinda Gulf Oil Company acusou a multinacional americana Chevron, concessionária do Campo petrolífero de Cabinda, de dificultar a actividade sindical na indústria petrolífera de Cabinda e de continuar aplicar uma política salarial discriminatória aos trabalhadores angolanos.

Ambrósio  Almeida considerou tal comportamento de uma violação à dignidade laboral e de violar sistematicamente os direitos e liberdades dos trabalhadores.

A Chevron e outras companhias ao serviço da indústria petrolífera continuam a dificultar a instalação de sindicatos no campo do Malongo. Disse Ambrósio  Almeida que acrescentou que  os sindicatos não funcionam no campo petrolífero.

Almeida disse esperar que o estado tome a mão fiscalizadora da lei por forma a permitir maior respeito e defesa dos direitos dos trabalhadores.

As diferenças salariais no campo petrolífero de Cabinda têm entretanto aumentado o clima de insatisfação no seio dos trabalhadores.

Esta situação tem ameaçado a paralisação da actividade petrolífera em Cabinda. A esse respeito, Ambrósio Almeida pediu para que ministério dos petróleos a encontrar uma plataforma de entendimento no cumprimento das directivas que estabelecem o  qualificador de funções e remunerações na industria petrolífera angolana.

Ambrósio de Almeida defendeu não ser normal que num estado democrático e de Direito como Angola se permita o que chamou de banalização dos trabalhadores e a violação de princípio elementares consagrados no regime laboral angolano.

O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: joaquin tukondjeni amelao
28.07.2012 11:11
os negocios devem ser bem sussedidos..


por: Diasuama
13.07.2012 10:32
Nao sabemos oque eles querem para com o povo sera que eles querem que trabalhamos 100 salario?


por: FLEC VERDADEIRO
12.07.2012 06:18
Quem fala muito pouco acerta se as coisas nao melhorarem dentro de 6 meses destruiremos isso para sempre,sera melhor resolverem a questao salarial doque remendarem o que se vai destruir e mesmo assim depois teram que melhorar.


por: Anonimo
10.07.2012 11:31
Eles sabem que podemos parar ha qualquer altura. Demontramos isso em 2005. Neste mesmo ano, quando paramos pareciam que as coisas estavam ok e quanda eram 18 horas do dia 7 de Julho as coisas foram a baixo. Por isso, podemos parar ha qualquer momento sem aviso previo. Eles sabem. MAis uma vez o MPLA nao vai apanhar nada nas eleicoes aqui no Malongo. Depois nao dizem que nao avisamos. Fuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii


por: NGIMBI KHONDO
09.07.2012 13:47
O sr Ambrio erou, Angola nao e um pais democratico, nem de direito onde vive a violacao de todos tipos de direito .Entoa o MPLA deve sair no poder , talvez angola sera um estado de direito.

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Passadeira Vermelha: Star Wars, Oprah Winfrey e filha de Whitney Houston acendem os holofotes!i
X
24.04.2015 16:24
O episódio 12 da #PassadeiraVermelha da VOA traz novidades da Oprah Winfrey, uns miminhos do Star Wars, daqueles bem bons e vamos ver quem rebentou o record de vendas de bilheteira de cinema das últimas semanas!
Vídeo

Vídeo Passadeira Vermelha: Star Wars, Oprah Winfrey e filha de Whitney Houston acendem os holofotes!

O episódio 12 da #PassadeiraVermelha da VOA traz novidades da Oprah Winfrey, uns miminhos do Star Wars, daqueles bem bons e vamos ver quem rebentou o record de vendas de bilheteira de cinema das últimas semanas!
Vídeo

Vídeo O Auxílio à morte nos Estados Unidos

Nos 18 anos da lei "Morte com Dignidade" no Oregon, cerca de 750 pessoas terminaram suas vidas com drogas letais. O medicamento também pode ser prescrito no Estado de Washington, Novo México, Vermont e Montana. Uma paciente terminal abriu o debate a outros estados
Vídeo

Vídeo Xenofobia na África do Sul

Na semana passada, a África do Sul foi tomada por ataques contra estrangeiros que moram no país. Alguns dizem que os ataques são culpa do legado do colonialismo, outros dizem que são problemas económicos da nação. Independentemente da causa, sul-africanos rezam pelo fim da violência.
Mais Vídeos