quarta-feira, 17 dezembro, 2014. 23:15 UTC

Notícias / Angola

UNITA acusa TPA de má-fé no caso Augusto Silva

A UNITA desmentiu informações postas a circular dando conta que o seu membro, general Isaias Chitombi, teria assassinado o cidadão Augusto Silva.

Manuel José
A UNITA desmentiu informações postas a circular dando conta que o seu membro, general Isaias Chitombi, teria assassinado o cidadão Augusto Silva.

O partido do galo negro por intermédio do seu membro do Comité Permanente, Adalberto da Costa Júnior, disse que vai solicitar a abertura de uma comissão parlamentar de inquérito, para apurar os factos: “Pretendemos solicitar uma Comissão Parlamentar de Inquérito a estes actos.”


Para a UNITA existe uma intenção deliberada de manchar a reputação dos seus membros: “Numa clara intenção de atingir politicamente o partido e o bom nome de seus dirigentes.”

No centro da polémica está a cidadã Carlota Tekassalan que numa entrevista à TPA acusou o general Chitombi de ter morto Augusto Silva, por alegado caso de burla. A UNITA não só desmentiu o facto como apresentou a suposta vitima: Augusto Silva que diz estar bem vivo.

“Eu sou Augusto Silva e não estou morto, essas coisas de burla não quero entrar, isso tudo é uma mentira.”

Augusto Silva na primeira pessoa e em viva voz contou a sua versão dos factos:

“Quando eu fui ao Congo, levar a minha esposa para tratamento, a senhora Carlota aproveitou-se para "chular" o velho Chitombi, em meu nome.”

Augusto Silva disse ter sido espancado, aquando da sua passagem pela Direcção Nacional de Investigação Criminal de Luanda e que o obrigaram a negar que se chamava Augusto Silva.

“Dormi na cela, bateram-me e obrigaram-me a dizer que eu não era Augusto Silva.”

Augusto Silva, o suposto cidadão assassinado pelo general Chitombi. A UNITA diz não ter dúvidas de que a TPA agiu de má-fé para denegrir a imagem do partido:

“A TPA assumiu-se como um instrumento político ao serviço de interesses obscuros, ferindo a dignidade da pessoa humana.”

O que para os "maninhos" é um sinal claro de que Angola se está a transformar num estado totalitário.

“O regresso ao estado totalitário é cada vez mais evidente e urge uma reacção firme e rápida sob risco de amanhã ser tarde e ter consequências que hoje se pode evitar”, disse Costa Júnior.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: Colhão Azul de: Lubango
27.01.2013 19:24
Angola é um pais totalitário! apenas quiz corrigir o senhor Nguzu. Kota Adalberto, penso que é chegado o momento de a TPA responder em tribunal, por mais este péssimo trabalho prestado a população. Achamos que além do aproveitamento politico que o MPLA faz dos meios de comunicação social públicos, assistimos a diabolização de figuras e partidos que falam lingua diferente a do MPLA. O caso é de policia. Bazei, porrrrrrrraaaaaaaaaaaaaa.


por: Nguzu
23.01.2013 06:41
Gostaria de currigir o Sr. Adalbert da Costa Junior quando usa a seguinte frase: "claro de que Angola se está a transformar num estado totalitário". Nao sei em que pais o Sr Adalberto esta, agora nao esta a transformar-se Angola e' um mais totalitario faz hoje 37 anos de ditadura, totalirarismo, culto de personalidade e currupcao activa. Aproxima nao cometa mais o mesmo erro.

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 17 Dezembro 2014i
|| 0:00:00
...  
🔇
X
17.12.2014 19:09
As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 17 Dezembro 2014

As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 12 Dezembro 2014

As imagens das noticias africanas
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 9 Dezembro 2014

A actualidade africana em apenas 60 segundos
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 9 Dezembro 2014

Lebron James juntou-se ao protesto "I can't breathe" (Não consigo respirar), antes de um jogo com uma audiência real: o Príncipe William da Inglaterra e a duquesa de Cambridge, Kate Middleton
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 8 Dezembro 2014

As notícias que marcam a actualidade do continente africano, em apenas 60 segundos
Mais Vídeos