quarta-feira, 02 setembro, 2015. 23:47 UTC

Notícias / Angola

Trabalhadores decidiram continuar a greve na Angola Telecom

Grevistas boicotaram o encontro de mediação com o patronato alegando que a comissão sindical não tinha sido préviamente convidada

Praça da Independência, em Luanda (Arquivo)
Praça da Independência, em Luanda (Arquivo)

Multimédia

Áudio
Venâncio Rodrigues
Os trabalhadores da  empresa pública de telecomunicações e Multimédia, Angola Telecom, mantêm a sua decisão de dar continuidade a greve que, já dura uma semana, até serem satisfeitas as suas exigências.

Esta quarta-feira, os grevistas recusam-se a  participar na reunião de concertação convocada pela entidade empregadora .

“A direcção não pode reunir connosco sem a comissão sindical,” disse um dos grevistas.

A fonte  dos grevistas disse à  Voz da América que, contrariamente ao que  direcção tem estado a dar a entender, à opinião pública, não há qualquer sinal no sentido da satisfação das reivindicações salariais, que motivaram mais esta greve.

Numa tentativa de acalmar os ânimos dos trabalhadores, o ministro das Telecomunicações Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha,   declarou à imprensa pública,  que a solução dos problemas sociais   passava pela reestruturação de todos sectores da Angola Telecom.

“A reestruturação tem de ser feita sob pena de não fazermos nada,” afirmou.

Mas os grevistas dizem que  estão fartos de promessas.

Os  trabalhadores estavam a ponderar a possibilidade de  acabar com o piquete , que foi montado para atender os serviços mínimos da empresa, como forma de pressão sobre a administração, mas  o encerramento do escritório da comissão sindical,  ordenada pela  entidade patronal frustrou tal intenção .

Na passada quinta-feira, tal como noticiou a Voz da América, a Polícia angolana tentou dispersar os trabalhadores grevistas que se encontravam defronte ao edifício da empresa, com o uso  de cães  polícias e outros meios de intimidação, incidente que a fonte afirma ter sido ultrapassada.

Uma velha reivindicação de aumento dos ordenados da maioria dos trabalhadores que remonta ao ano de 2011, está na causa da paralisação da Angola Telecom. Os grevistas contestam os altos salários dos principais chefes da  companhia, comparativamente aos que auferem os   trabalhadores de base.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Mundo 2 Setembro 2015i
X
02.09.2015 17:56
Vídeo

Vídeo Diário de um YALI (III): Joel Almeida perdido em Nova Iorque

Desafiámos o Joel a contar-nos os seus dias e cada dia que passa é uma aventura. Perder-se em Nova Iorque tem sido uma constante. O Joel está na cidade da grande maçã para um estágio de 2 meses dentro do programa Young African Leaders Initiave, criado por Barack Obama
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 1 Setembro 2015

Milahres dançam no festival tradicional suazi
Vídeo

Vídeo Manchetes americanas 1 Setembro 2015

Ben Carson, um novo Obama?
Vídeo

Vídeo Diário de um YALI (II): Joel Almeida e a visita à Estátua da Liberdade

Esta é a 2ª partilha de Joel e como seria de esperar Nova Iorque não é um lugar fácil. A ida à estátua da Liberdade provou ao Joel que um GPS pode ser tudo na vida.
Vídeo

Vídeo Diário de um YALI (I): Joel Almeida e a primeira aventura em Nova Iorque

Joel Almeida, de Cabo Verde, é designer de jogos e tem uma start-up. Participou no programa YALI por 6 semanas e dentro da mesma iniciativa está entre os 100 escolhidos para fazerem um estágio nos Estados Unidos durante 2 meses. Joel está em Nova Iorque e aceitou o desafio de nos contar os seus dias
Mais Vídeos