sexta-feira, 01 agosto, 2014. 05:44 UTC

Notícias / Angola

Ex-polícias secretos angolanos reivindicam direitos

Cerca de 32 mil ex-agentes secretos aguardam pela sua desmobilização e reintegração social desde a assinatura dos acordos de paz em 1992.

António Capalandanda
Ex-agentes dos serviços de segurança angolanos, exigiram uma reunião com o presidente angolano, José Eduardo dos Santos, para tratarem da sua desmobilização e reintegração social pelas quais aguardam há 20 anos. Caso contrário, os agentes ameaçam realizar uma manifestação defronte ao palácio presidencial em Luanda.

Em declarações à Voz da América, um representante do grupo dos descontentes acusou o regime de Eduardo dos Santos de estar a violar sistematicamente os seus direitos há duas décadas.


Questionado sobre uma possível repressão da parte das autoridades angolanas em função dos protestos que pretende realizar na cidade alta, afirmou que já não têm mais nada a perder: “ O que nós queremos é a nossa indemnização e passar para a Caixa Social da Reforma” disse um dos descontentes, advertindo que “ caso não fizerem isso nós em Benguela pegaremos uns homens e iremos até ao presidente da república, vamos preferir morrer.”

Sobre o acto de protesto, um ex-agente garante que o mesmo “não tem data, nem hora, nem um líder” para evitar que sejam impedidos de fazê-lo.

Estima-se que em todo país, cerca de 32 mil ex-agentes secretos aguardam pela sua desmobilização e reintegração social desde a assinatura dos acordos de paz em 1992.

Os revoltados avisaram que uma eventual posição extrema resultaria da sólida negligência de Luanda, ao terem jogado os ex-agentes de segurança ao abandono. “Nós vamos segurar em quarenta ou trinta homens vamos ao presidente da república com um autocarro” explicou o antigo agente secreto, sublinhando: “ se no tempo de guerra não tivemos medo, não é agora em tempo de paz que vamos ter medo.”
As antigas forças de segurança lamentam ainda como os angolanos são excluídos pelas autoridades angolanas tendo em conta que países como a Guiné-Bissau até reforma oferecem.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: joao antonio de: lobito
17.12.2012 10:21
se nao estao desmobilizados e porque sao fantasmas pois sao o resultado do pseudo estado partido e agora estao a sofrer as consequencias dos seus actos do passado pois deveriam ser honestos no passado nao permitindo a compactuacao de acoes criminosas e agora estao a ver a verdadeira imagem dos seus criadores e bem haja

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Ivan Collinson - Participante Yalii
X
31.07.2014 20:06
Ivan Collinson - Participante Yali. Veio de Moçambique e é director adjunto do registo académico da Universidade Eduardo Mondlane. Ivan sente-se mais africano depois de participar na Iniciativa Jovens Líderes Africanos nos EUA
Vídeo

Vídeo Ivan Collinson - Participante Yali

Ivan Collinson - Participante Yali. Veio de Moçambique e é director adjunto do registo académico da Universidade Eduardo Mondlane. Ivan sente-se mais africano depois de participar na Iniciativa Jovens Líderes Africanos nos EUA
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 31 Julho 2014

Câmara dos Representantes indicia processo contra Presidente Barack Obama
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 31Julho 2014

Da propagação do vírus do ébola, aos ataques do Boko Haram. Os títulos que marcam a actualidade de África
Vídeo

Vídeo Cadija Mané - Participante Yali

Cadija Mané - Participante Yali. Veio da Guiné-Bissau, onde trabalha como coordenadora da Casa dos Direitos. Regressa para a Guiné com mais determinação e força de vontade para mudar as coisas
Vídeo

Vídeo Vilma Nhambi - Participante Yali

Vilma Nhambi - Participante Yali. Veio de Moçambique e tem um projecto com mulheres e adolescentes nas zonas rurais.
Vídeo

Vídeo Selma Neves - Participante Yali

Selma Neves - Participante Yali, veio de Cabo Verde. É Presidente da Incubadora, uma cooperativa de empoderamento de mulheres e fica por mais dois meses para um estágio em Nova Iorque
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 29 Julho 2014

Os principais assuntos que fazem a actualidade dos Estados Unidos da América, com Bruna Ladeira
Vídeo

Vídeo Majo Joseph - Participante Yali

Majo Joseph - Participante Yali veio de Moçambique e a sua área de acção é a sociedade civil e seu empoderamento
Vídeo

Vídeo Akiules Neto - Participante Yali

Akiules Neto - Participante Yali. Veio de Angola e a sua vida são os números
Mais Vídeos