sábado, 25 outubro, 2014. 11:09 UTC

Notícias / Angola

Angola: Oposição não vibra com a data da independência

Trinta e sete anos depois da sua independência, Angola continua a negar os direitos fundamentais as suas populações.

Marginal de Luanda
Marginal de Luanda
Manuel José
Trinta e sete anos depois da sua independência, Angola continua a negar os direitos fundamentais as suas populações.

A constatação é dos deputados angolanos. Os líderes das bancadas parlamentares entrevistados pela VOA acreditam que os benefícios da independência nacional, para os cidadãos continuam por vir. É o que diz por exemplo o chefe da bancada parlamentar da UNITA, Raúl Danda:

“As nossas populações ainda vivem extremamente mal.”

Raúl Danda afirma que só uma minoria de pessoas beneficia-se das riquezas do país, relegando para a miséria a maioria esmagadora da população:

“Há uns poucos que ficam com quase tudo, de toda gente, isto é mau, enquanto nós continuarmos a agir assim, a independência não serve, não presta.”

Outro líder de bancada parlamentar, a do PRS, Benedito Daniel, diz que direitos fundamentais para a vida das pessoas como a alimentação, habitação e emprego continuam a ser negados aos angolanos:

“Os angolanos precisam de habitação condigna, de emprego, energia eléctrica, precisam de alimentação condigna, ainda estamos muito longe de construirmos uma Angola para todos nós.”

Na mesma linha de pensamento, André Gaspar Mendes de Carvalho "Miau", chefe do grupo parlamentar da CASA-CE espera que a independência proporcione a maioria dos cidadãos, o que até agora não foi possível: água, luz, emprego e habitação para os jovens:

“Que haja água, energia para todos, saneamento básico, habitação, emprego sobretudo para a juventude, estas são as grandes batalhas que Angola tem de realizar e tem de vencer.”

Da bancada do partido que governa o país, o seu chefe Virgílio de Fontes Pereira lançou duas ideias sobre a independência nacional: Uma de reconhecimento do muito ainda que falta fazer:

“Temos que assumir que ainda há muito para se fazer no capítulo da saúde, da educação, da distribuição de água e energia eléctrica, do ambiente, das infra-estruturas, da habitação.”

A segunda ideia é de esperança de dias melhores de felicidade para a maioria dos angolanos:

“Nós os angolanos devemos estar felizes por mais um aniversário da nossa independência, mais uma vez num ambiente de paz, sobretudo num ambiente de paz consolidada.”
Angolanos devem festejar o dia da "DIPANDA" diz Virgílio Fontes Pereira. Quem diz não ter muitos motivos para festejar a independência é o chefe da bancada do maior partido da oposição em Angola:

“Eu não festejo porque não há motivos para isso, eu não posso dizer que "viva a independência" quando tenho alguém ao meu lado que está a sofrer, que não tem nada pra comer, num país rico.”

Deputado da bancada da UNITA, Raúl Danda sem muitas razões para festejar o 11 de independência de Angola do colonialismo português.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: Pantera-Negra de: Luanda
13.11.2012 13:51
O Virgílio de Fontes Pereira, de certeza que desconhece o verdadeiro sentido de Independência, Paz e Liberdade.

Existe esses três pressupostos acima aludido, quando o estómago está vazio??? Há motivos para festejos quando a Independência beneficia meia dúzia de chicos-espertos??? Cuidado senhores não brinquem com o fogo, não brinquem de governação, porque o ser humano de barriga vazia é o pior dos irracionais.

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 24 Outubro 2014i
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
24.10.2014 18:05
As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 24 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Levados pelo Boko Haram

O mundo espera para ver se a Nigéria consegue negociar a libertação das 219 raparigas da escola de Chibok, raptadas pelo grupo islâmico Boko Haram em Abril. Activistas dizem que o Boko Haram já raptou centenas de jovens rapazes, mulheres e crianças, desde 2009.
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Mãe Trabalhadora - trailler do filme

O filme explora a dupla responsabilidade das mulheres moçambicanas, como mães e trabalhadoras. Gentilmente cedido pelo Organização Internacional do Trabalho
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 22 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Ébola e os órfãos da Serra Leoa

Centenas de crianças ficaram órfãos na Serra Leoa devido ao surto do vírus do Ébola, são vítimas do estigma e da rejeição. Os familiares não querem saber deles. A Serra Leoa abriu o primeiro orfanato de vítimas do Ébola no distrito de Kailahun.
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 21 Outubro 2014

As noticias de Africa em imagens
Vídeo

Vídeo Ébola: Um Poema para os Vivos

O filme da Chocolate Moose é uma animação desmistificando o Ébola, explicando a doença através do caso de um menino infectado. A VOA fez a dobragem do vídeo original na voz de Mayra de Lassalette. Saiba mais no link http://tinyurl.com/l7vgtjv
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 17 Outubro 2014

As noticias de Africa em video
Mais Vídeos