quarta-feira, 29 julho, 2015. 04:49 UTC

Notícias / Angola

Luanda preocupada com situação no leste do Congo

Os rebeldes do M23 continuam a avançar na região do Kivu Norte depois da ocupação de Goma.

Venâncio Rodrigues
O governo angolano condenou esta quarta-feira, em comunicado, a violência na República Democrática do Congo, afirmando que tal situação coloca em perigo a paz, a estabilidade e a segurança regionais, em particular na região dos Grandes Lagos.
 
Luanda diz acompanhar a situação no leste da RDC com muita preocupação e muito particularmente,  na região do Kivu Norte, que resultou na ocupação da cidade de Goma pelos rebeldes do M23.


O governo de Angola considera tais ações como sendo incompatíveis com o princípio da resolução pacífica dos conflitos e defende que a soberania e integridade territorial da República Democrática do Congo devem ser respeitadas e preservadas.
 
No  comunicado de imprensa, o governo angolano apela às instâncias internacionais, em especial ao Conselho de Paz e Segurança da União Africana e ao Conselho de Segurança das Nações Unidas para que tomem as medidas apropriadas que visem acabar com a ação dos rebeldes.  
 
O comunicado do governo foi publicado momentos depois de ter  estado na  capital angolana  o enviado do   presidente congolês, Joseph Kabila onde se encontrou com o chefe de estado angolano, José Eduardo dos Santos.  

Antoine Ghonda, disse  aos jornalistas que tinha como missão informar as autoridades angolanas sobre a situação militar no seu país, que considerou “muito difícil”.
 
“É uma rebelião sustentada por países vizinhos, Ruanda e Uganda, e, por isso, o Presidente Kabila está em Kampala, para conversar diretamente com os apoiantes da rebelião”.
 
Entretanto a UNITA considera que o governo angolano não pode exigir a resolução pacífica de outros conflitos quando estimula  a  violência no seu próprio país, segundo declarações à Voz da América  do deputado Raul Danda.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: joao antonio de: lobito
23.11.2012 11:07
quem tudo quer tudo perde porque as tropas kabilista estao desmotivadas e anda mal pagas e alimentadas o que reflecte a incapacidade do topo em mostrar inteligencia na governacao para que este estado selvagem e cronico de gestao corruptiva de governacao em africa e na rdc e a imagem real do cauchemar infinito daqueles que comecaram mal e estao a acabar mal eu aconselho os seus conselheiros a rederm'se as evidencias e comecarem a pensar e agir democraticamente para que os homens abandonem as armas e as susbestituam por instrumentos de trabalho e dignidade

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Sudão: música salva pessoas da mortei
X
28.07.2015 06:19
Em 2012 o realizador sudanês Hajooj Kuka realizou um documentário entre os refugiados da Guerra civil no Nilo Azul, Sudão, e na região montanhosa de Nuba. E surpreendeu-se com o que ali viu – a música estava a ajudar a salvar pessoas que estavam a ser alvo de ataques aéreos do seu próprio governo
Vídeo

Vídeo Sudão: música salva pessoas da morte

Em 2012 o realizador sudanês Hajooj Kuka realizou um documentário entre os refugiados da Guerra civil no Nilo Azul, Sudão, e na região montanhosa de Nuba. E surpreendeu-se com o que ali viu – a música estava a ajudar a salvar pessoas que estavam a ser alvo de ataques aéreos do seu próprio governo
Vídeo

Vídeo Marvel Comics lança um novo Homem-Aranha: Miles Morales

Seja em quadradinhos ou na tela do cinema, fãs estão acostumados a ver Peter Parker por trás do Homem-Aranha. Mas isto está a mudar. A Marvel Comics lançou Miles Morales para substituir Peter Parker em uma nova série de quadradinhos. Ele é metade latino e metado afro-americano e já é bem popular.
Vídeo

Vídeo Procuradoras mulheres da Somália para fazer a diferença

Numa nação marcada por um longo conflito, corrupção e impunidade, o governo da Somália espera reconstruir o sistema de justiça do país e pela primeira vez trouxe seis procuradoras mulheres ao processo
Vídeo

Vídeo Jornalista cego da Somália

Apesar da melhoria de segurança, nos últimos anos, Somália continua um dos países mais perigosos para ser jornalista, pior para que não tem a capacidade de ver. Abdifatah Hassan Kalgacal têm reportado na última década a partir da capital daquele país. É cego
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 23 Julho 2015

As imagens noticiosas de Africa
Mais Vídeos