quarta-feira, 16 abril, 2014. 10:19 UTC

Notícias / Angola

Abstenção não ajuda a democracia - escritor angolano Filipe Zau

"Ninguém pode exercer a democracia sem fazer escolhas," diz Zau

Escolher é parte do processo democràtico - Filipe Zau
Escolher é parte do processo democràtico - Filipe Zau
Tamanho das letras - +
A elevada abstenção eleitoral registada em Luanda não ajuda a democracia, disse o escritor angolano Filipe Zau.


Zau apresentou em Luanda a sua mais recente obra literária intitulada “ Do acto educativo ao exercício da cidadania” e numa entrevista à Voz da América afirmou que “ninguém pode exercer a democracia sem fazer escolhas”.

“O exercício da cidadania é um acto político,” disse Zau para quem “ninguém pode exercer a democracia sem estar a fazer escolhas” e para quem “há momentos na vida que temos que fazer escolhas”.

“Estamos perante um abstenção enorme em Luanda que me parece é um mau exemplo e não ajuda a democracia,” acrescentou Zau que disse que eleições são um pedido de opinião num professo democrático.

“Quando eu não quero dar a minha opinião eu não estou a ajudar o processo de democrático,” disse.

Para o autor, músico, compositor, poeta e investigador académico a educação tem que ser hoje mais abrangente em questões culturais, tem que analisar o papel das línguas africanas na aprendizagem, questões ligadas ao primado da paz, justiça social e algumas de ordem política.

“Estamos numa sociedade global e as questões politicas não são só dos políticos. O exercício de cidadania é um acto político,” disse.

“Hoje em dia a educação tem um sentido mais amplo do que era, vão para além da escola, acrescentou.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: Florindo Chivucute de: USA
17.09.2012 00:14
Penso que os Angolanos perderam confianca no processo "democratico" em Angola, em particular nos partidos politcos. Isto e grave.


por: Prof.Kiluange de: New York City
16.09.2012 20:10
Carta Aberta ao Tribunal Constitucional da República de Angola
Exmos. Srs. Magistrados,

Mais uma vez!, o povo angolano recorre aos valiosos préstimos dos servicos de V. Exas. para observar , cumprir e fazer cumprir integralmente todas as cláusulas previstas na constituição angolana, e promover o bem geral da Nação! V. Exas. têm diante de si "provas contundentes e irrefutáveis" de irregularidades cometidas no decurso das eleições gerais de 31 de Agosto de 2012. Essa e' uma oportunidade de ouro que os Exmos. Srs. Magistrados têm para demonstrar inteira capacidade de cumprimento das responsabilidades que lhes são atribuídas pela Carta Magna Angolana, , agindo de forma ética, independente e imparcial, de modo a garantir que o interesse público seja preservado.
Subscrevo-me, com a mais elevada consideração, de V.Exas.,
Professor N'gola Kiluange – New York City
Prof.kiluangenyc@yahoo.com


por: Marinela Ivone de: Mozambique
16.09.2012 15:15
Sim dignissimo Filipe Zau,votar em eleicoes cujos resultados andam ja fabricados,tambem seria uma catastrofe.

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Afrcianas 15 de Abrili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
15.04.2014
Vídeo

Vídeo "Temos muitos problemas na Guiné-Bissau", Abel Incada, candidato presidencial

Os guineenses foram às urnas a 13 de Abril e estão expectantes num novo Governo de paz e estável
Vídeo

Vídeo África do Sul vai a votos a 7 de Maio

Na África do Sul, o ANC está em campanha difícil para segurar o seu domínio no Limpopo, onde ganhou 85 por cento dos votos em 2009.
Vídeo

Vídeo Pistorius está no banco dos réus e a acusação tem sido dura

Os acusadores tentaram descrever o atleta sul-africano Oscar Pistorius como egoísta e abusivo durante o segundo dia de interrogatório no seu julgamento por homicídio.
Vídeo

Vídeo A luta dos medicamentos baratos

O Governo da África do Sul vai aprovar reformas sobre propriedade intelectual – incluindo patentes de medicamentos – que para activistas de saúde poderão permitir que mais sul-africanos possam ter acesso a medicamentos genéricos,
Mais Vídeos