quarta-feira, 27 agosto, 2014. 18:56 UTC

Notícias / Angola

Assassino chinês deve cumprir pena em Benguela, dizem advogados

Zhang Yang, que assassinou o cambista Pedro Chiwila em Benguela, foi condenado a 23 anos de prisão mas desapareceu entretanto da prisão local.

Sede da administração da cidade de Benguela
Sede da administração da cidade de Benguela
Manuel José
O grupo de advogados da associação “Mãos Livres” garante que o assassino do cambista de Benguela, Pedro Chiwila, o chinês Zhang Yang vai ter que aparecer para cumprir a sua pena de prisão em Benguela conforme decisão do tribunal provincial.

De acordo com o advogado “ Mãos Livres”, Salvador Freire em entrevista exclusiva a VOA, é um imperativo que o cidadão chinês cumpra a pena de 23 anos de cadeia, em território angolano:” Nós achamos que agora mais do que nunca, o próprio cidadão chinês deve cumprir a pena em Angola, se desapareceu milagrosamente, da mesma forma que desapareceu, deve ser recolhido para cumprir a pena em Angola”.



O causídico explica que não há nenhum acordo de extradição entre Angola e a China, daí o réu ter de cumprir a pena em Angola: “Não existe nenhum acordo de extradição entre Angola e a China, os cidadãos chineses que cometem crimes devem cumprir a pena cá em Angola”.

O advogado não tem dúvidas de que o responsável pelo desaparecimento do cidadão chinês de Benguela é o director dos serviços penitenciários da província que deveria, segundo ele, ter a mesma sorte de Zhang Yang: “temos informações de que alguém orientou que ele sumisse da cadeia, o director provincial dos serviços penitenciários que assim procedeu, é também um acto criminal, o próprio director dos serviços prisionais deverá responder também por um processo em Benguela”.
A fuga do preso deverá estar ligada ao facto do país ter ainda a conotação de corrupto, diz o advogado Freire.

O assunto está entretanto a mobilizar vários sectores da sociedade angolana. O cientista político Nélson Pestana Bonavena defende a efectivação da sentença do tribunal para que não abra precedentes: ”Vinte e três anos para o nosso ordenamento jurídico é uma pena pesada mas é igual a zero se o homem não ficar na cadeia, dar 23, podia dar 100, 200 anos se eu vou continuar em minha casa, dar um ou cem é a mesma coisa”.

Já o professor da Universidade Agostinho Neto, Jaka Jamba, exige que se esclareça em que condição se deu a fuga do cidadão chinês da prisão de Benguela:”Jaka Jamba :"É preciso que seja clarificado em que condições o cidadão chinês Zhang Yang desapareceu da cadeia”.
O forúm foi encerrado
Comentário
Comentários
     
por: Odalberto D. Casonatto de: Porto Alegre / RS
08.11.2012 08:27
Desaparece o assassino chinês Zhang Yang condenado a 23 anos de prisão, num golpe de mágica. Lendo está notícia parece que estou lendo um jornal brasileiro. É sempre a mesma enrolação. Certamente, nunca mais verão este chinês, sobrará apenas um consolo que este chinês não aparecerá mais livremente em Angola. Mas aparecerá por outros. A corrupção é um “Polvo” com muitos braços e que a geração atual de angolanos não verá a erradicação da corrupção na sociedade angolana.


por: Prof.Kiluange de: Manhattan-NYC
08.11.2012 02:36
Acaso já nos demos conta que raios de vendetas militam no nosso sistema judiciário?! Não restam dúvidas que estamos a lidar com “buccaneers”[piratas]disfarçados de "protetores da lei", quando na verdade são indivíduos destituídos dos mais ínfimos princípios das leis da natureza e moralidade, princípios morais à alma!... É perca de tempo “falarmos entre nós” sobre a justiça... seriedade do nosso sistema judicial enquanto o criminoso número 1 da República exerce o cargo de auto-proclamado Presidente e usufrui imunidades adjacentes `a essa função.As nossas instituições juridicas só serão capazes de cumprirem seus respectivos papéis se nenhum cidadão estiver acima da lei.Imaginem o que seria dos Estados Unidos se Alphonsus Gabriel Capone, mas conhecido por Al Capone, ou então Don Vito Corleone estivessem na casa branca? Ou pomos fim a essa pirataria juridica de uma vez por todas!, ou continuamos a ser escravos desse sistema – a escolha é nossa!


por: Anónimo
07.11.2012 18:55
O ASSASSINO CHINES DEVERIA SER SENTENCIADO A PENA DE PERPETUA SO PARA NAO LHE DAR A PENA DE ENFORCAMENTO . SE FOSSE NA CHINA ELE DEVERIA CONSIDERADO COMO UM RATO SUJO DO DESERTO E SERIA MANDADO NO INFERNO.

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Lei Russa Contra a Profanaçãoi
X
27.08.2014 18:06
A Rússia promulgou em Julho uma lei que ameaça multar actos de profanação nos media, filmes, literatura, na música e no teatro. A restrição foi bem recebida por quem diz que a blasfémia está fora do controlo, outros rejeitam a decisão por considerarem tratar-se de paternalização e censura
Vídeo

Vídeo Lei Russa Contra a Profanação

A Rússia promulgou em Julho uma lei que ameaça multar actos de profanação nos media, filmes, literatura, na música e no teatro. A restrição foi bem recebida por quem diz que a blasfémia está fora do controlo, outros rejeitam a decisão por considerarem tratar-se de paternalização e censura
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 27 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 26 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Manchetes Americanas 26 Agosto 2014

Os principais títulos americanos na última semana de Agosto
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 25 Agosto 2014

As noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo O impacto económico do Ébola

O recente surto de Ébola na Africa Ocidental poderá prejudicar as economias governamentais na Libéria, Guine, e Serra Leoa, e talvez mesmo Nigéria. Os esforços de prevenção interferem com o comércio, desportos e viagens
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 22 Agosto 2014

Noticias de Africa em video
Vídeo

Vídeo Ferguson clama por justiça

Violência, frustração e raiva têm sido a combinação explosiva no bairro de St. Louis, em Ferguson, Missouri. Os protestos começaram depois de um jovem negro de 18 anos ter sido morto por um polícia branco
Mais Vídeos