Links de Acesso

Zamora Induta Libertado em Bissau


GMalam Bacai Sanhá

Libertações de vários oficiais terão sido resultado de acordos entre diversas facções do poder

23 Dez 2010 - Ainda não foram reveladas as circunstâncias que rodearam a libertação do ex-Chefe de Estado-maior General das Forcas Armadas, José Zamora Induta.

Nenhuma fonte oficial proferiu quaisquer declarações sobre o assunto, salvo o Ministério da Defesa que emitiu um comunicado, dando conta ainda da libertação do coronel Samba Djalo, antigo Chefe da Contra Inteligência Militar, bem como o tenente-general Melciades Manuel Gomes Fernandes, ex-Chefe do Estado-maior da Forcas Aérea, Capitão Bacar Sano, Tenente Malam Cande e 2° Sargento Djabú Camara, presos em conexão com os assassinatos do Presidente Nino Vieira e Tagme Na Wayé.

Detido a 1 de Abril deste ano, quando vários militares liderados por António Indjai (actual chefe de Estado Maior das Forças Armadas) arrancaram com uma revolta que levaria à libertação de Bubo Na Tchuto (actual chefe de Estado Maior da Armada), então «exilado» nas instalações da ONU, Induta encontra-se desde ontem na sua residência, sem pessoal de segurança, se bem que antes de ter sido libertado a casa estava a ser guardada por elementos das Forcas Armadas. Facto que segundo uma fonte familiar não se compreende.

A libertação do antigo Chefe de Estado-maior e de outros detidos com ligações a diferentes casos, teria resultado de um acordo entre o Presidente da Republica, Primeiro-ministro e outros responsáveis da esfera do poder guineense, com o objectivo de pacificar o clima de crispação reinante, envolvendo Bissau e alguns parceiros internacionais.

A Liga Guineense dos Direitos Humanos disse ter registado com satisfação a libertação efectiva dos detidos, isto depois de ter visitado Induta logo nas primeiras horas de quinta-feira. Para esta organização de defesa dos Direitos Humanos, a medida da justiça militar e das autoridades judiciais em geral, representa um passo importante na reposição da legalidade e respeito pelos princípios estruturantes do estado de direito democrático.

Contudo, exorta as autoridades a criar condições de segurança aos libertados, como forma de prevenir eventuais actos isolados que possam pôr em causa a sua integridade física, ao mesmo tempo que exige o esclarecimento da verdade material sobre as circunstâncias das mortes que ocorreram em 2009 na sequência dos acontecimentos de 1 e 2 de Março e de 5 de Junho, este último caso, que recordo resultara nas mortes de Baciro Dabo e Hélder Proença.

Ainda na Guine-Bissau, noutro registo, o Presidente da República conferiu posse quinta-feira ao novo ministro do interior, Dinis Cabelol Na Fantchamna, que substituiu Satu Camara Pinto, exonerada das funções depois de ter apresentado a sua demissão ao Chefe do Governo, Carlos Gomes Júnior. Malam Bacai Sanha empossou também o Chefe de estado-maior do Exército, Augusto Mário.

XS
SM
MD
LG